i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

O “rigor da lei” e as penas de ficção

  • PorGazeta do Povo
  • 10/01/2021 18:00
Legislação brasileira é feita para que condenados nunca precisem pagar integralmente sua dívida com a sociedade.
Legislação brasileira é feita para que condenados nunca precisem pagar integralmente sua dívida com a sociedade.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Na noite de Natal, a juíza Viviane Arronenzi, do Rio de Janeiro, foi assassinada com 16 facadas pelas mãos do seu ex-marido, Paulo José Arronenzi. O crime aconteceu na frente das três filhas do casal — duas meninas de 7 anos e uma outra, de 9. O caso, compreensiva e justamente, causou uma mistura de indignação e horror na sociedade. Tal barbaridade não pode passar impune. Este não apenas foi o sentimento da população, mas também o das autoridades e das entidades representativas da magistratura. Várias delas, incluindo a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), divulgaram notas em que pediam o “rigor da lei” contra o criminoso.

Não se questiona a necessidade de garantir que o rigor da lei seja aplicado a autores de casos como o da magistrada – e não só a eles. A dúvida que se forma a partir dessa situação, no entanto, é outra: há rigor no sistema jurídico brasileiro, seja nos casos bárbaros de repercussão nacional, seja para os demais crimes que ocorrem diariamente no Brasil? O fato é que o “rigor” exigido pela AMB não é tão fácil assim de ser obtido.

Infelizmente, podemos dizer que a punição, no Brasil, só acontece quando o culpado tem muito azar. No caso de Viviane Arronenzi o assassino está devidamente identificado, mas esta é uma exceção. Levantamento de 2016 revelou que 62% dos casos de homicídio no Brasil eram arquivados por falta de provas – e, se isso ocorre com os homicídios, imagine-se qual será a taxa de resolução de outros tipos de crimes. Mesmo quando o assassino é identificado, apenas 5% de todos os inquéritos chegavam ao júri e recebiam uma sentença.

A lei brasileira oferece todo tipo de obstáculo para que um assassino vá para trás das grades ou permaneça ali por um bom tempo

E esse número pode até mesmo diminuir, posto que novidades como as audiências de custódia e a figura do “juiz de garantias”, inovação criada pelo Congresso na aprovação do pacote anticrime, tendem a filtrar ainda mais o número de criminosos que chegam à prisão. No Rio de Janeiro, por exemplo, 32% dos presos em flagrante entre setembro de 2019 e fevereiro de 2020 foram soltos pelas audiências de custódia, número que subiu a quase 50% durante os meses da pandemia.

E, mesmo que o criminoso seja identificado, capturado, julgado e condenado, ele ainda pode contar com uma série de dispositivos em seu favor. A lei brasileira oferece todo tipo de obstáculo para que um assassino vá para trás das grades ou permaneça ali por um bom tempo. A Constituição, no artigo 5.º, XLVII, b, afirma que “não haverá penas de caráter perpétuo”, texto que é lido não apenas como a vedação da prisão perpétua propriamente dita, mas também como um impedimento para penas muito longas, que, mesmo com duração definida, extrapolariam a expectativa de vida do condenado. A nova redação do Código Penal Brasileiro afirma que o termo máximo de prisão em regime fechado é de 40 anos, dez a mais que o limite anterior, de 30. Contudo, se o culpado for condenado a mais de 40 anos de prisão por penas diversas, estas deverão ser unificadas numa única pena, com este mesmo limite.

E, mesmo uma condenação é severa acaba sendo abrandada com o passar do tempo. Apesar de algumas mudanças efetuadas pela Lei 13.964/19, o sistema penal brasileiro ainda é “progressivo” e se divide em regime fechado, semiaberto e aberto. No atual modelo, cumpre-se 16% da pena em regime fechado, caso o réu seja primário. Se for reincidente em crimes sem violência ou sem ameaça grave, sobe-se para 20% da pena. Já se for reincidente de réu condenado por crime com ameaça grave, a porcentagem sobe para 30%. Se o apenado for primário, mas condenado por crime hediondo, 40% – e, finalmente, 50%, 60% e 70% se o apenado for, respectivamente, primário em crime hediondo que resulta em morte ou condenado por comando de organização e milícia criminosa; se for reincidente em crime hediondo; e se for reincidente em crime hediondo que resulta em morte. Em outras palavras, ninguém fica na prisão pela duração completa da pena a que foi condenado, por mais grave que seja o seu ato e por pior que seja seu histórico de crimes.

Tecnicamente, o princípio da progressão de pena serviria para aumentar a severidade do cumprimento da pena. Segundo Ney Moura Teles, em seu livro Direito Penal, o regime progressivo baseia-se num princípio “democrático” de aplicação de lei. Mas a realidade é que, em seu atual formato, entende-se que a verdadeira pena é aquela cumprida antes da progressão, e não a pena em sua totalidade. Mesmo nos casos célebres, de apenados por crimes hediondos de grande repercussão – como o casal Nardoni; os assassinos do menino João Hélio; ou Suzane von Richthofen e seus cúmplices, os irmãos Cravinhos –, observaremos que não se cumpriu nem metade do tempo previsto pela condenação dentro do cárcere.

No caso dos Nardonis (condenados pela morte da pequena Isabella, 7 anos, arremessada do sexto andar do edifício onde vivia com os pais), Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados respectivamente a 31 e 26 anos de prisão em regime fechado, em 2010. Apenas sete anos depois, Anna conseguiu progressão para o regime semiaberto (apesar de ter perdido o direito em junho de 2020, quando foi flagrada com os filhos dentro da penitenciária onde cumpre pena); em 2019, foi a vez de Alexandre. Já os cinco assassinos de João Hélio, arrastado por 7 quilômetros pelas ruas do Rio de Janeiro após o roubo do carro dos pais em 2007, estavam nas ruas 12 anos depois do crime, apesar da condenação a mais de 40 anos de prisão. A mesma lógica serve no caso do assassinato dos pais de Suzane von Richthofen: condenados em 2006 a penas de 39 anos, os irmãos Cravinhos passaram ao semiaberto em 2013; Suzane recebeu o privilégio no ano seguinte.

É simplista enxergar o sistema progressivo de penas e o resguardo de direitos fundamentais para acusados e apenados como mera benesse para proporcionar vida fácil aos condenados: ele é, na verdade, parte de um sistema saudável, que o cumprimento dos direitos humanos exige que exista. O Brasil não é o único país que aposta na progressão de pena: nações do chamado primeiro mundo também adotam variantes desse modelo, como são os Estados Unidos, o Canadá, a Finlândia e a Alemanha. Mas nenhum desses países trata o preso com tanta parcimônia como o Brasil – que, além da progressão de pena, ainda tem indultos, “saidinhas” e várias outras medidas para aliviar o fardo da prisão.

Conseguimos transformar o sistema penal brasileiro em algo que não inspira temor no delinquente, justamente porque não há rigor na aplicação da pena

Na Alemanha, por exemplo, a pena máxima é a prisão perpétua, que pode ser progredida para condicional após 15 anos de cumprimento. Porém, em caso de reincidência, o preso perde o direito à progressão, ficando o resto da vida atrás das grades. Nenhuma dessas nações citadas, aliás, está entre as 15 que mais registram homicídios no mundo, conforme pesquisa feita pelo Instituto Igarapé em 2018. Enquanto isso, naquele ano, o Brasil teve 57.395 mil assassinatos, número que caiu 19% em 2019, mas que voltou a crescer durante o primeiro semestre de 2020: foram 25.712 vítimas nos seis primeiros meses do ano passado.

A realidade objetiva é que conseguimos transformar o sistema penal brasileiro em algo que não inspira temor no delinquente, justamente porque não há rigor na aplicação da pena, fazendo das punições previstas no Código Penal uma ficção, já que nunca são aplicadas em sua integridade. A AMB, assim, pode até exigir o “rigor da lei”, mas sua aplicação tem muito pouco de rigorosa. Como esperar justiça para as vítimas – não só para a juíza Viviane, ou Isabella Nardoni, ou João Hélio, ou os pais de Suzane von Richthofen, mas para todas as vítimas de homicídios, estupros, agressões e roubos Brasil afora – se seus algozes dificilmente são presos e, quando isso ocorre, raramente pagam integralmente sua dívida com a sociedade?

O principal problema do Brasil, do ponto de vista do crime, é que somos muito lenientes para com malfeitores. Por isso mesmo, não se censuram na hora de cometer seus delitos. Tivesse o imortal Cesare Beccaria, pilar da Escola Clássica de Direito Penal, nascido no Brasil, teria de fazer um acréscimo ao seu famoso adágio segundo o qual o bandido é inibido não tanto pela severidade da pena, mas pela certeza da punição. Porque, entre uma coisa e outra, existe a questão de cumprir a pena até o término previsto. E isso, no Brasil, ainda é um mito.

21 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 21 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • H

    HENRIQUE ARANTES

    ± 0 minutos

    A lei só é leve para com os delinquentes porque é feita por eles próprios. Vivemos no paraíso da bandidagem, como efeito da legislação em causa própria.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • M

      MICHAEL GUSTAV ADOLF MULL

      ± 5 horas

      Rigor apenas para pobre. Rico se safa. Além , temos leis demais e fiscalização de menos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • C

        Celito Medeiros

        ± 7 horas

        A grande questão está entre a Ética e a Moral. Democracia seria a Cracia do Demo? Os Problemas Morais são interpretações e julgamentos. Ética é o senso natural entre o certo ou errado, nada mais. Aos materialistas, a morte é o fim de tudo, então precisam apoiar a Pena de Morte. Para os que acreditam no Espírito Imortal a pena de morte seria inútil. O Aborto, um direito à vida ou condenação à morte. O Povo Brasileiro precisa se manifestar, pensando em si, sua família e o futuro desta sociedade. Comentaristas precisariam de mais espaço por aqui... Bom texto deste Editorial.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • J

          João Carlos

          ± 8 horas

          Parabéns à GDP pelo editorial ! É uma das razões pq sou assinante.Uma análise de alto nível de uma questão que afeta a sociedade e principalmente, as pessoas honestas e de bem. Somos reféns de um sistema forjado por “progressistas” irresponsáveis. O crime deixa de compensar, quando o ônus de comete-lo é maior, com uma punição exemplar e cumprimento integral da pena. Progressão de regime, redução generosa da pena e o indulto natalino, devem ser revistos pelos nossos políticos, p/ o devido agravamento ou abolição, principalmente no caso de crimes hediondos e de colarinho branco. Só a defesa de uma pauta conservadora poderá resgatar nosso país!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • R

            Roberto Fakir

            ± 9 horas

            Perfeito. Até em crimes hediondos a própria Ministra "CALA BOCA JÁ MORREU" usa duplo padrão, imaginem os outros pares dela. Um exemplo de duplo padrão é o caso de Lula que até solto já está e o caso do Cabral que "ainda" está preso. Os dois são bandidos do mesmo tipo e MUITO perigosos, mas Cabral só indicou o FUX para o STF e o Lula com o PT indicaram os outros 8. Os outros 2 foram indicados pelo José Serra, outro bandido solto, mas sem pena a ser cumprida.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • N

              Natan Monteiro

              ± 9 horas

              Excelente editorial. A GDP poderia criar uma série de editoriais nessa linha, dada a importância de se discutir o tema. O código penal brasileiro é, de fato, fantasioso. Além dos crimes comuns e hediondos terem uma taxa de elucidação e conversão em condenação muito baixa, temos a leniência do CP para com os apenados. Os casos demonstrados pela Gazeta são emblemáticos e nos mostram o quanto precisamos lutar para ter um sistema que seja mais rigoroso. A sociedade deve levar essa discussão para o Congresso e pressionar os congressistas a corrigirem as falhas desse sistema.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • W

                wilmar scoz

                ± 10 horas

                Quanto o crime chegar a determinados grupos, querem severidade, mas nos demais, não. Todos são iguais e tratamento tem que ser igual.

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • P

                  Paulo Batista Dos Santos

                  ± 10 horas

                  Além de todos os pontos listados pelo Editorial, ainda temos a agravante de que o criminoso sempre fica com o patrimônio adquirido com o produto do crime, nos casos de colarinho branco.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • R

                    Rômulo Viel

                    ± 10 horas

                    Aqui, tudo é feito para não funcionar. Prender bandidos é a exceção, não a regra.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    1 Respostas
                    • B

                      Bruno Santos Teles

                      ± 9 horas

                      funciona sim, mas pra quem é remunerado pelo sistema, juízes e advogados, é feito pra funcionar pra eles, estão ricos

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                  • M

                    Mitinho

                    ± 10 horas

                    Parafraseando importante militar da Antiguidade: vae victis (pobre das vítimas, em tradução literal). Se tua casa for assaltada e vc conseguir defender-se e dominar o assaltante - ai de você!!!. Será indiciado por agressão com danos; o criminoso) assaltante? Uma vítima da sociedade injusta, discriminadora. Fique feliz, se não tiver que indenizar o invasor do teu domicílio.....

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • A

                      Arthur Ant

                      ± 10 horas

                      O problema é que temos um código penal bizarro e uma constituição feita pra o primeiro mundo. Desde 88, o Estado não pode mandar em nada, mas deve sustentar tudo. Para chegarmos à plenitude da Constituição deveríamos ter estabelecido uma transição com metas bem claras. Exemplo: enquanto o cidadão cumpridor da lei e dos seus deveres não conseguir chegar a uma zona de conforto, o descumpridor não será objeto de cuidados especiais. devendo ser punido com penas severas e, em caso de prisão, ignorar manifestações de ONG's.

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      1 Respostas
                      • P

                        Paulo Batista Dos Santos

                        ± 10 horas

                        Corrigindo: uma constituição feita por comunistas.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                    • L

                      LSB

                      ± 10 horas

                      Concordo com o editorial. Mas deixo uma pergunta: pq a progressão deve ser para “amenizar” a sentença original? Pq a sentença original não é o mínimo a ser cumprido em caso de bom comportamento E, no caso de mau comportamento, acrescenta-se mais tempo de “cana”? Qto a Beccaria, ele estava errado qdo condicionou somente à probabilidade; qq gerente de risco sabe que o importante é a “esperança matemática”, ou seja, a probabilidade multiplicada pela intensidade/dano da “efetivação” do risco (ser preso no caso penal).

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      • J

                        João Martins Donizete

                        ± 11 horas

                        E se depender dos ditos progressistas a tendência é ainda piorar mais. Lembre-se de uma candidata a governadora do Estado do Rio que entende a lógica do assalto (assalto usa-se a violência, diferente do furto) pois o sujeito é uma vítima da sociedade. E essa mulher até hoje tem evidência na esquerda brasileira e mundial. Essa pária mora em Paris.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                        • S

                          SFB

                          ± 11 horas

                          Assino embaixo.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          • D

                            DOMINGOS JOSE DE MENEZES JUNIOR

                            ± 11 horas

                            a verdade é só uma, a legislação penal brasileira foi feita para proteger o marginal ( principalmente os políticos) e o cidadão honesto está nas mãos de bandidos diariamente.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            • S

                              Sabrina Tomaz Moreira Lima

                              ± 12 horas

                              O que podemos esperar de um código penal elaborado por bandidos? Nada, infelizmente o Brasil é o país onde o crime compensa...

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              • B

                                Bruno Santos Teles

                                ± 12 horas

                                a função do poder judiciário é remunerar juízes e advogados, e ele faz isso muito bem

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                                • W

                                  WILSON ZETI

                                  ± 12 horas

                                  Um crime que compensa, não da cadeia, é o de receptação, pode comprar carro roubado, desmanchar e vender as peças, pode comprar e vender celulares roubados, se for pego por policial honesto, responderá em liberdade e se condenado sua pena lhe dará direito a cumprir em liberdade.

                                  Denunciar abuso

                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                  Confira os Termos de Uso

                                  • M

                                    mup

                                    ± 12 horas

                                    O artigo nos leva à seguinte constatação. Nosso sistema penal parece de um país como a Suiça ou Suécia. Nossa prática penal, no entanto, nada deve aos mais lenientes e atrasados países do mundo. Aqui o bandido - com ou sem colorinho branco - calcula o custo do deiito e chega sempre à conclusão que vale a pena delinquir. Matar, assaltar, roubar, valem a pena. Se e quando pego, logo estará de novo nas ruas voltando a delinquir.... Os congressistas qdo eleboram as leis penais, pensam em seu próprio futuro e daí são lenientes e permissivos. Enquanto isso, sofre a sociedade, sofrem os homens de bem!

                                    Denunciar abuso

                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                    Confira os Termos de Uso

                                    Fim dos comentários.