i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

A terceira pista do Afonso Pena é uma necessidade

  • PorGazeta do Povo
  • 08/05/2020 20:51
Vista aérea do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais.
Vista aérea do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais.| Foto: Divulgação / Anac

Curitiba e o Paraná ficaram para trás quando o assunto são voos internacionais de longo alcance, para destinos como a Europa e a América do Norte. Enquanto a oferta crescia em aeroportos do Sudeste e Nordeste, a última rota regular ligando o Aeroporto Internacional Afonso Pena aos Estados Unidos, operada pela American Airlines com destino a Miami, foi encerrada em fevereiro de 2016; a aeronave era obrigada a partir com pouco combustível, o suficiente apenas para chegar a Porto Alegre, onde era reabastecida para realizar todo o trajeto até a Flórida. Tudo porque a maior das pistas do Afonso Pena, que tem 2,2 mil metros de comprimento e está 900 metros acima do nível do mar, não é suficientemente longa para um avião de grande porte decolar lotado.

A ampliação da pista principal ou a construção de uma terceira pista são assunto recorrente há muitos anos, mas jamais saíram do papel. Só com a concessão do Afonso Pena à iniciativa privada, em leilão que inicialmente estava previsto para outubro deste ano, mas que foi adiado devido à pandemia de coronavírus, o tema retornou com força. No entanto, o estudo no qual o edital deveria se basear não considerava nenhuma das duas possibilidades, prevendo a construção de uma terceira pista apenas “caso a movimentação de aeronaves extrapole a capacidade do atual sistema”, que é de 14 milhões de passageiros por ano. O texto acrescentava que “as projeções de demanda apresentadas no estudo de mercado apontam para o final do período concessivo uma movimentação anual e horária de aeronaves ainda compatível com a capacidade atual do sistema de pistas”, ou seja, a terceira pista não se tornaria realidade a não ser que houvesse um aumento da demanda muito acima do previsto.

O Afonso Pena precisa estar em condições de receber voos que levem passageiros e cargas aos principais destinos mundiais sem depender de conexões ou escalas

A sociedade civil organizada, o setor produtivo e políticos paranaenses se mobilizaram, vendo que o estudo perpetuava um círculo vicioso: sem voos intercontinentais, o Afonso Pena se limitaria a rotas domésticas, atraindo movimento menor, o que por sua vez continuaria a tornar “supérflua” a terceira pista. “Não podemos esperar mais 30 anos, senão [o aeroporto] vai ficar como está”, disse à Gazeta do Povo João Arthur Mohr, gerente dos Conselhos Temáticos e Setoriais da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

Como resultado, o governo federal se propôs a rever os planos. No início de março, durante audiência pública em São José dos Pinhais, o diretor de Políticas Regulatórias da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Ricardo Fonseca, garantiu que o Afonso Pena teria uma solução satisfatória para permitir voos diretos aos Estados Unidos e Europa. Dias atrás, o governo do estado e a Fiep anunciaram que o edital contemplará a terceira pista. “Haverá [no edital de concessão] uma diretriz específica para a construção da terceira pista do Aeroporto de Curitiba, com 3 mil metros de comprimento”, afirmou à Gazeta do Povo o Ministério da Infraestrutura.

O governo federal não informou mais detalhes, mas, segundo a Fiep e o governo estadual, haveria um prazo de cinco anos para a construção da nova pista a partir da assinatura da concessão. A esta altura, o importante é conseguir o compromisso de que a terceira pista será construída; os prazos dependerão principalmente de como a economia irá se recuperar após o caos deixado pelo coronavírus. O turismo e o setor aéreo estiveram entre os primeiros a serem atingidos pelas restrições, e enfrentam uma crise gravíssima. O calendário precisará ser ajustado com todo o cuidado: o leilão tem de ocorrer quando os grandes players estiverem em condições de fazer boas ofertas, e o planejamento de investimentos também tem de ser ajustado a essa recuperação, para não espantar eventuais interessados.

Quando a pandemia terminar, ainda haverá fatores que limitarão a demanda no curto prazo, como o real desvalorizado, que desestimulará muitos planos de viagem (embora também torne o Brasil mais barato para estrangeiros, que poderiam usar Curitiba como conexão para chegar a destinos como Foz do Iguaçu). Mesmo assim, o horizonte de tempo proposto para a construção da terceira pista permite contar com uma recuperação, ainda que gradual, da economia brasileira; quando isso ocorrer, o Afonso Pena precisa estar em condições de receber voos que levem passageiros e cargas aos principais destinos mundiais sem depender de conexões ou escalas que encarecem a operação.

11 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 11 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • J

    JJP

    ± 2 horas

    Viabilidade econômica faz parte do capitalismo, senão é comunismo, socialismo ou corrupção: vide aeroporto novo de Natal, elefante branco. Se tivessem feito algum estudo de viabilidade econômica sério não teriam construído estádio para a copa em Manaus, Cuiabá, Recife, Natal.... só serviu a corrupção, aos ladrões do dinheiro público. chega de ILUSÃO.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Evandro

    ± 3 horas

    Curitiba tem que ter infraestrutura condizente com sua importância. Essa história de viabilidade econômica é conversa fiada! A viabilidade se constrói com a disponibilidade da pista e o mercado que se cria. Há que pressionar! Que venha a terceira pista e com o ILS 3

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JJP

    ± 3 horas

    ILUSÃO, Gazeta apoiando uma ILUSÃO, o que falta é DEMANDA para esses vôos internacionais. E é muito mais fácil ampliar a pisa principal do que fazer essa 3ª pista, que demanda diversas desapropriações. O terminal e a pista não estão saturados, parem com essa ilusão, ninguém vai se interessar na privatização se for obrigado a fazer uma 3ª pista que custa uma fortuna!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jota

    ± 4 horas

    A terceira pista é inevitável.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo

    ± 6 horas

    A terceira pista vem acompanhada da quarta pista.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    rafael marques cardoso

    ± 7 horas

    A Gazeta ignora uma coisa chamada viabilidade econômica. Muito provavelmente o EVTE estudou a terceira pista e descartou pela baixa demanda que ela teria (estamos mais longe dos gdes destinos e perto de guarulhos)... como sempre o debate é puro populismo e 0 técnico

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • C

      C. L.

      ± 1 horas

      Guarulhos está no limite da capacidade e a maioria dos Curitibanos precisam ir para lá, VCP ou Rio para viagens internacionais. É completamente possível CWB ser alternativa a GRU (Hoje a segunda opção de muitas Cias tem sido Confins). E se Foz é o segundo destino do Brasil, como não teria demanda?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mário Kume

    ± 13 horas

    Curitiba, capital e ainda perdendo para muitos estados por não ser o destino final de qualquer vôo internacional...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Roberto Cerulli Vezozzo

    ± 22 horas

    Louvável essa iniciativa de empresários curitibanos em pressionar o Governo Federal para uma terceira pista no Afonso Pena. Quem viaja para exterior e volta Curitiba, sente na carne o que é esperar um vôo em Guarulhos ou no Rio para voltar para casa! Em Janeiro, estava voltando de Dallas, via Atlanta e depois de 13 horas de vôos, cheguei em Guarulhos, com vôo marcado para 2 horas após a minha chegada e por atrasos da GOL, fiquei com a minha família, esperando, quase 10 horas, para voltar para Curitiba!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.