Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Resido no Batel. Bairro nobre com moradores de alto padrão, bom nível educacional e cultural. Enfim, de pessoas esclarecidas ou que, pelo menos, deveriam ser. Porém, diariamente, nota-se a falta de bom senso destes ao lavarem suas calçadas com água potável. Dou uma dica simples: sempre que possível, colete e armazene água da chuva para tal fim, inclusive para regar o jardim. Para ambas tarefas, prefira uma vassoura.

Jorge G. Fontela Raurich, Curitiba – PR

Plano de metas

A secretária de Planejamento do governo de Minas Gerais, Renata Vilhena, ganhou espaço na imprensa da capital paranaense pela premiação aos funcionários públicos mineiros que atingem metas. Isso funciona na iniciativa privada, onde as metas são diárias e mensais. Na gestão pública o que precisa é o bom atendimento dos funcionários ao povo, cujos salários são pagos com nossos impostos. Um plano de metas pode funcionar aos secretários com relação ao custo e a qualidade das obras. Pena que a secretária não falou nada sobre o esquecimento do Vale do Jequetinhonha, onde o Mal de Chagas aumentou 300% por falta de políticas públicas. Lá o povo paga ao longo de sua vida o convívio com esse mal que, para muitos, estava erradicado. Sem prevenção e sem assistência médica, as pessoas, esquecidas pelos governantes, são infectadas pelo mosquito.

José Pedro Naisser, Curitiba – PR

Criacionismo

O biólogo Tarcísio da Silva Vieira escreveu que "...os seis dias da criação são literais" (Gazeta do Povo, 5/1), com referência ao livro bíblico do Gênesis. É no mínimo apressado, para não dizer ridículo. Mantendo-se dentro do horizonte religioso, é não levar a sério o mistério da inspiração divina, que jamais anula a participação humana, livre e consciente. O Papa Leão XIII chamava a atenção do orbe católico para o problema dos diversos gêneros literários presentes nos textos bíblicos, eco desta efetiva participação humana na transmissão da mensagem da salvação. O livro do Gênesis nos quer incutir uma mensagem religiosa e ética: Deus existe e Ele é o criador de tudo; deu origem ao ser humano como sua imagem e semelhança, convidado a viver em família e assim cuidar da obra criada. Tentar extrair dele dados geológicos ou paleontológicos é o mesmo que pretender descobrir nas páginas amarelas lições de filosofia ou teologia. A Bíblia ensina que Deus criou o mundo e a alma espiritual do ser humano; como exatamente isto se deu compete às ciências naturais demonstrar.

Padre Jonas Eduardo, Curitiba – PR

Reforma ortográfica

Chega a ser cômica a reação dramática de algumas pessoas que se revoltam com a reforma ortográfica, reclamando que agora são semianalfabetas, que terão que reaprender a escrever. E é ao mesmo tempo triste, pois revela que parte da sociedade brasileira ainda manifesta um sintoma crônico que impede o Brasil de evoluir, a preguiça de estudar, a falta de interesse em dedicar algumas horas para assimilar mudanças. Se existe desinteresse em se atualizar numa área tão essencial quanto a linguagem escrita, é de se imaginar que essas pessoas estão estagnadas em muitas outras áreas do conhecimento.

Eduardo Mesquita Pereira Alves, por e-mail

Dr. Moysés

Gostei muito de ler o artigo "Se todos fossem iguais a você!" (Gazeta, 4/1), do competente e conhecido médico dr. Kit Abdala, de descendência árabe, ao querido e ilustre médico e professor dr. Moysés Paciornik, de descendência judia.

Raul Odraleski, por e-mail

Discurso

O PT bem que poderia determinar a seu líder na Assembleia Legislativa para ler o primeiro e segundo discursos do então deputado estadual Roberto Requião, em 1983. São discursos importantes, pois são sobre o nepotismo.

Sylvio Sebastiani, Curitiba – PR

Paranaense ilustre

Vi com muita alegria os nomes de Bento Munhoz e de Ney Braga como personagens mais importantes de nosso estado. Homens brilhantes que deram ao nosso estado os contornos necessários para o desenvolvimento e o respeito que hoje desfrutamos. Infelizmente seus exemplos não foram seguidos. Hoje vemos com tristeza políticos desqualificados à frente de nossas causas, com atitudes e ações que contrariam os interesses do nosso estado e do nosso povo.

Osni Pedroso Cubas, por e-mail

Faixa de Gaza

O restante do mundo deveria se unir e acabar de imediato com esta guerra absurda entre Israel e palestinos. Todos os povos são iguais perante Deus. Temos ao redor do mundo exemplos de convivência pacífica entre as nações. Onde houver humildade haverá a paz; já onde reina a hipocrisia, jamais se alcançará a paz.

Alzemar Venâncio, por e-mail

Taxas e impostos

Com a chegada de janeiro, chega também a época do maior presente que a prefeitura oferece aos cidadãos de Curitiba: o IPTU com aumento real e a taxa de lixo mais cara e injusta do Brasil. Fica aqui também sugestão de pauta para a Gazeta: tentar abrir a caixa preta que é a taxa de lixo em Curitiba. É impossível entender o critério de cálculo. O valor é arbitrário e inquestionável. Certo é que os moradores da capital ecológica descobrirão que pagam uma taxa que estimula não a racionalização e sim a produção descontrolada de lixo.

David de Carvalho, por e-mail

Pedágio

Um passeio para a capital custar R$ 27, entre ida e volta em trecho de 110 km, é um absurdo. Não que eu seja contra o pedágio, afinal o Estado brasileiro abandonou nossas estradas, mas que seja cobrado um valor razoável, pois já pegaram as estradas prontas e duplicadas, tendo a obrigação apenas de recuperá-las. Por que as novas concessionárias de pedágios cobram valores de aproximadamente R$ 1,50 em trechos maiores que o da BR-277 e nós termos de pagar quase 900% a mais. A concessionária CCR fica fazendo demagogia com programas como o "Parto Humanizado", entre outros, mas isso não é a sua obrigação. Que parem de fazer esses programas e baixem o preço absurdo que praticam. Com a palavra o governador do blefe (ou baixa ou acaba!) e os deputados estaduais das aposentadorias milionárias.

José Gomes da Silva, professor aposentado, Ponta Grossa – PR

Litoral 1

Como de costume, fui passar o réveillon com minha família em Barra Velha (SC). Qual não foi a minha surpresa ao constatar que o povo continua despreocupado com a limpeza pública: além do já tradicional lixo jogado nas ruas (que acaba por entupir "bocas-de-lobo"), jogam lixo também para dentro do quintal das casas (dejetos esses que vão desde latinhas de cerveja a garrafas de champagne). Isso sem contar que um "espírito destruidor" riscou todos os carros que estavam estacionados de um dos lados da rua.

Patricia Andréia, por e-mail

Litoral 2

Mais um feriado de ano-novo no litoral do Paraná com acúmulo de lixo por todo lugar. O lixo encontra-se espalhado pelas praias, calçadas, terrenos baldios, etc. As pessoas não separam o lixo reciclável, que constitui o maior volume descartado; as prefeituras não montam melhor estrutura para coleta. Este ano a desculpa foi a troca de prefeitos nas diversas cidades. Esperamos que no próximo ano, com os novos prefeitos, esse eterno problema seja resolvido a partir de uma companha maior para separação do lixo reciclável e de uma melhor coleta (se possível duas ou mais vezes por dia durante a temporada de verão). Esperamos também que os novos prefeitos trabalhem com seriedade a favor do projeto da construção da ponte sobre a baía de Guaratuba, uma vez que o sistema de ferry boat está totalmente ultrapassado. O turismo no litoral do Paraná ganharia muito com uma ponte em vez de balsas.

Wilson Jorge, economista, Curitiba – PR

Secretariado

Concordo com o eleitor que escreveu a respeito da indicação de Jorge Bernardi para ocupar uma secretaria na atual administração. Sem dúvida, ele foi o melhor dos melhores vereadores que Curitiba já teve.

Ari Wolker, funcionário publico, Curitiba – PR

* * * * *

Fale conosco

Praça Carlos Gomes, 4 • CEP 80010-140 – Curitiba, PR Fax (041) 3321-5129

leitor@gazetadopovo.com.br

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva o direito de publicar ou não as colaborações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]