O governo Temer tem de enfrentar a herança maldita petista: economia em frangalhos, Estado quebrado e, na área política, o empoderamento do Congresso, após a votação do impeachment. Tal situação pode dificultar as negociações nas votações de medidas necessárias e impopulares, com vistas a sanear as contas públicas e proporcionar um ambiente saudável à retomada do crescimento econômico. A pergunta que se coloca é se Temer tem capital político para implementar uma agenda de austeridade que o atual momento de efervescência política e de grave crise econômica requer.

Eduardo A. Waintuck

Mulher no governo

O presidente Temer demitiu Fábio Medina Osório da AGU e chamou Grace Maria Mendonça para o cargo, a primeira mulher a integrar o alto escalão do governo. A esquerda, com seu debate inócuo da obrigatoriedade da presença feminina em todas as áreas, é quem fez pressão para que uma mulher integrasse o governo. Qual o problema de os ministérios não contarem com uma mulher? A presença da mulher é garantia de que teremos melhor entrega de serviço? Se assim fosse, não teríamos o desastre que foi a estocadora de vento.

Marco Santos

Direita

Dizer que o novo governo é de direita é risível. Só há partidos de esquerda no Brasil. O que há, no máximo, é a “direita da esquerda”, ou seja, partidos como o PSDB, da social-democracia, ou fabianos, um socialismo light. A direita não tem ainda um partido que a represente.

Rosane Mara Stocchero

Transporte coletivo

O problema está mesmo no valor da tarifa, ou em questões das quais ninguém quer falar, como a tarifa técnica e o cartel das empresas? A solução é obvia: abertura da concorrência e a elaboração de um edital que contemple maior número de interessados, e não apenas quem já está no comando. Enquanto a população não exigir maior transparência nesses processos, a discussão não evolui. Caberá à imprensa intermediar esta negociação.

Erasmo Batista dos Anjos

Jornada de trabalho

Mesmo que fosse permitido o empregador exigir 12 horas de trabalho diário, ninguém é obrigado a trabalhar em um emprego desses. O trabalhador pode procurar outro emprego que exija menos horas diárias. Parece que somos escravos e que não temos opção de mudar de emprego. O mercado de trabalho é livre.

Alex Fox

Família

Excelente artigo de Oriovisto Guimarães (Gazeta, 9/9)! A derrocada toda começa quando pais e mães querem ser vistos como “melhores amigos” dos filhos e professores incentivam os alunos a chamar-lhes de “tio” ou “tia”.

Reginaldo Pereira

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]