Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Empresa nega que espera para travessia tenha chegado a três horas, conforme apontado por deputado estadual.
Empresa nega que espera para travessia tenha chegado a três horas, conforme apontado por deputado estadual.| Foto: Divulgação/BR Travessias

Após reclamações de demora na espera para fazer a travessia de ferry boat em Guaratuba (Litoral), a concessionária BR Travessias, que assumiu o serviço no dia 7 de abril, afirmou que uma balsa provisória entrará em operação na próxima semana para atenuar os problemas no serviço. A empresa está fazendo a travessia com três ferry boats que são de propriedade do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR). Os três equipamentos quebraram uma vez cada um nas últimas semanas, nos dias 11, 16 e 26 de abril.

Cadastre-se e receba notícias do Paraná pelo WhatsApp

A BR Travessias alegou que nos três casos os reparos foram feitos no mesmo dia e os ferry boats voltaram a operar logo depois. Nesta segunda-feira (3), o deputado estadual Requião Filho (MDB) divulgou comunicado em que alegou que há relatos de espera de três horas para fazer a travessia.

“O DER/PR precisa fiscalizar os serviços que a concessionária assumiu, pois estamos recebendo muitas reclamações de pessoas que estão com muitas dificuldades para fazer essa travessia. Somente no Paraná uma concessionária aumenta o preço da tarifa e ainda piora o serviço prestado aos usuários. É uma vergonha”, criticou o parlamentar.

A concessionária informou, via assessoria de imprensa, que em nenhum momento desde o início das operações a espera chegou a três horas – o máximo teria sido cerca de duas horas.

Ainda de acordo com a concessionária, uma balsa provisória, com capacidade para 48 carros e dois bitrens, entrará em operação no próximo dia 11. Outra balsa, esta com presença definitiva em Guaratuba e com capacidade para 120 veículos, deverá estar disponível para a travessia em junho. A BR Travessias informou que, conforme as balsas forem chegando, os ferry boats serão retirados de operação para serem reformados e depois continuarão a ser usados juntamente com as balsas.

Quando o segundo ferry boat quebrou, o DER/PR notificou a concessionária para que prestasse esclarecimentos sobre medidas para resolver o problema da demora para a travessia. Nesta segunda-feira, o departamento apontou que foi informado à época pela BR Travessias sobre a chegada das balsas, e que está acompanhando para ver os resultados.

O DER/PR destacou que prestou as mesmas informações à Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) quando esta lhe enviou uma solicitação de informações, na semana retrasada. De acordo com o departamento, a concessão ainda está em período de transição de 90 dias, estabelecido em edital revisto e aprovado pela Agepar. A agência informou, por meio da assessoria de comunicação, que está acompanhando o assunto junto ao DER/PR.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]