i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Rodovias

Como e quando ocorrem os acidentes com mortes nas rodovias do Paraná

  • PorGazeta do Povo
  • 21/01/2020 15:36
Como e quando ocorrem os acidentes com mortes nas rodovias do Paraná
| Foto: Divulgação/PRF

O Paraná teve 500 mortes nas estradas em 2019, segundo balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) - seis a mais do que em 2018. Os dados desse levantamento mostram o perfil dos acidentes fatais no estado. A maior parte dos óbitos ocorreu com pista seca (82,4%), em trechos de reta (65,4%) e no período noturno (64,5%). Em geral, os dias mais perigosos foram nos fins de semana - o período entre sexta-feira e domingo representou 52,2% das mortes nas rodovias.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

Colisões frontais (24,8%) e atropelamentos (24,6%) foram as principais causas de morte em 2019 nos 3,9 mil quilômetros de estradas fiscalizadas pela PRF no Paraná. Juntas, as duas situações representam praticamente metade de todos os casos fatais do ano passado.

As estatísticas coletadas pela instituição nos atendimentos permitem ainda presumir as origens dos graves acidentes. Embora os casos de motoristas flagrados dirigindo sob o efeito de bebidas alcoólicas tenha subido em relação ao ano anterior - de 3.858 para 4.216 -, a principal causa provável anotada é a distração dos condutores. A falta de atenção ao volante representou 21% dos casos com mortes, seguida pela falta de atenção do pedestre, 17,2%. O álcool é a sexta maior causa, com 4,6% (veja a relação completa).

Embora as 500 mortes apresentem um ligeiro aumento em relação a 2018 - seis a mais, apenas -, o número é o segundo melhor da década. Em 2012, pior ano nas estatísticas, 855 pessoas perderam a vida nas rodovias paranaenses.

De acordo com os dados, os horários de maior perigo foram entre o fim da tarde e o início da noite. O porcentual de casos por horário varia de 2% a 4% entre a 0 h e as 17 h. O salto ocorre às 18 horas, quando ocorreram 8,4% dos casos de morte. O pico, porém, é na hora seguinte (19 h), período em que ocorreram 11% dos casos. Às 20 horas, esse porcentual cai para 6,4%, ficando na casa de 5% entre 21h e 23h.

Confira os principais dados:

Mortes por ano na última década:

  • 2010 - 723
  • 2011 - 740
  • 2012 - 855
  • 2013 - 750
  • 2014 - 778
  • 2015 - 583
  • 2016 - 653
  • 2017 - 612
  • 2018 - 494
  • 2019 - 500

Causas presumíveis para acidentes fatais (em 2019):

  • Falta de atenção do motorista - 21%
  • Falta de atenção do pedestre - 17,2%
  • Desobediência às normas de trânsito (condutor) - 16,8%
  • Velocidade incompatível - 16,4%
  • Ultrapassagem indevida - 6,2%
  • Ingestão de álcool - 4,6%
  • Condutor dormindo - 3%
  • Desobediência às normas de trânsito (pedestre) - 3%
  • Outros - 11,6%

Mortes por dia da semana:

  • Segunda-feira - 14%
  • Terça-feira - 10%
  • Quarta-feira - 9,2%
  • Quinta-feira - 14,6%
  • Sexta-feira - 16,4%
  • Sábado - 18,4%
  • Domingo - 17,4%

Mortes por condição da pista:

  • Seca - 82,4%
  • Molhada - 17,6%

Morte por traçado da pista:

  • Reta - 65,4%
  • Curva - 23,4%
  • Declive/aclive - 6,4%
  • Interseção de vias - 1,4%
  • Retorno regular - 1,2%
  • Viaduto - 1,2%
  • Rotatória - 0,5%
  • Outros - 0,5%

Mortes por tipo de veículo:

  • Carro - 31,7%
  • Nenhum (pedestre) - 23,6%
  • Moto - 22,2%
  • Caminhão - 10,2%
  • Caminhonete - 6,8%
  • Bicicleta - 4,2%
  • Ônibus - 0,8%
  • Utilitário - 0,4%

Tipos de acidente:

  • Colisão frontal - 24,8%
  • Atropelamento de pedestre - 24,6%
  • Saída de pista - 12,2%
  • Colisão traseira - 11,2%
  • Colisão transversal - 8,8%
  • Colisão lateral - 4,4%
  • Tombamento - 4,4%
  • Colisão com objeto estático - 3,2%
  • Capotamento - 1,8%
  • Outros - 4,4%
5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • J

    JULIAN SCHERER SANTOS

    ± 1 horas

    a reportagem nao informa se os acidentes foram em pista simples ou dupla, provavelmente a maioria absoluta foram em pista simples. nao avaliaram o estado de manutençao e trafego das vias que com certeza tem grande influencia nos acidentes.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JULIAN SCHERER SANTOS

    ± 1 horas

    a reportagem nao informa se os acidentes foram em pista simples ou dupla, provavelmente a maioria absoluta foram em pista simples. nao avaliaram o estado de manutençao e trafego das vias que com certeza tem grande

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jorge Dias

    ± 2 horas

    Então aquela história que mais radares nas estradas resolvem os problemas é mentira?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Nícolas

    ± 20 horas

    Tecla SAP: ausência de condução defensiva por motorista domingueiro.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Pedro Piarini

    ± 21 horas

    Excelente reportagem. Se 83% dos acidentes se dão em pista seca, onde 65% dos mesmos acidentes se dão em reta pode-se afirmar que o problema do transito não é nem velocidade ou alcool e sim impericia e imprudencia! Esses são o resultado grosseiro de uma barbeiragem e tanto no processo da carteira de habilitação: Ninguem sai da auto-escola com o minimo de capacidade para dirigir em estrada, e pelo fato de que 55% dos acidentes se dão entre sexta e domingo, nota-se que aumenta-se o fluxo de veiculos com motoristas incapazes de dirigir nelas. Logo, ao inves desse blablabla sobre alcool e velocidade, deveriam olhar e punir as auto-escolas que nada ensinam.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.