Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Policiais civis organizaram carreata de protesto do Parque Barigui ao Palácio Iguaçu no dia 24.
Policiais civis organizaram carreata de protesto do Parque Barigui ao Palácio Iguaçu no dia 24.| Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo

Entre as propostas apresentadas pelo governo do Paraná ao funcionalismo na manhã desta quarta-feira (3) está a realização de concurso público para contratação de quase 6 mil novos servidores – a maioria dos postos destinada a policiais militares. O impacto na folha de pagamento seria de R$ 200 milhões ao ano.

RECEBA nossas notícias pelo WhatsApp

Ao fazer o anúncio, o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) não informou, contudo, quando exatamente os processos de seleção seriam abertos. Procurada pela Gazeta do Povo, a Casa Civil esclareceu que não há previsão de data.

A ideia seria abrir 2.560 vagas de policiais militares, 400 de policiais civis (sendo 50 vagas de delegados e 50 de papiloscopistas e investigadores), 96 de peritos e médicos para a Polícia Científica, 1.269 de agentes de cadeia, 400 de profissionais de saúde, 80 de profissionais para a Adapar (Agência de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná) e 988 de professores.

Além disso, também seriam selecionados servidores para o Quadro Próprio do Poder Executivo, para o IAP (Instituto Ambiental do Paraná), para o Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), para o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e para o Teatro Guaíra.

Proposta no pacote de reajuste

A abertura de novos concursos consta na proposta de reajuste salarial apresentada pela gestão Ratinho ao funcionalismo. A proposta surge após mais de dois meses de negociações e com a deflagração de uma greve de parte dos servidores estaduais, no último dia 25.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]