i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Previdência

Deputados reagem a ponto da reforma que inviabiliza abono salarial no Paraná

  • PorJoão Frey
  • Brasília
  • 14/05/2019 20:00
Reunião da Comissão Especial da Reforma da Previdência
Reunião da Comissão Especial da Reforma da Previdência.| Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Uma das mudanças previstas na proposta de reforma da Previdência encaminhada pelo governo federal ao Congresso é uma alteração nas regras para recebimento do abono salarial – uma espécie de 14º salário pago pelo governo a trabalhadores que recebem até dois salários mínimos mensais. A mudança encaminhada na Proposta de Emenda a Constituição 6/2019 reduz essa linha de corte para um salário mínimo.

Caso seja aprovado o novo teto, os trabalhadores dos cinco estados brasileiros onde há política de salário mínimo regional ficam automaticamente inelegíveis para o recebimento do benefício porque a remuneração formal mais baixa da região estará acima do valor do mínimo nacional.

Esse ponto da reforma tem gerado reação especialmente nas bancadas desses estados onde o abono não seria pago. Entre os deputados do Paraná – onde o salário mínimo regional varia de R$ 1.306,80 a R$ 1.509,20 – já há os que articulam a apresentação de emendas para alterar o texto.

“Se por causa do salário mínimo regional nós perdemos o abono porque os funcionários ganham R$ 100, R$ 200 a mais, nós estaremos cometendo uma injustiça e o que era para ser positivo se torna uma tragédia para a economia do estado”, argumenta o deputado Aliel Machado (PSB), que integra a Comissão Especial da reforma da Previdência.

Mesmo parlamentares favoráveis à reforma, como Stephanes Junior (PSD) – que também é membro da comissão especial –, reconhecem que a medida é controversa e tem poucas chances de prosperar. Segundo ele, o Paraná não pode ser punido por ter feito algo bom para os trabalhadores.

Luizão Goulart (PRB) afirmou que há algumas propostas sendo discutidas entre os parlamentares para evitar que os trabalhadores desses estados sejam prejudicados. As possibilidades são fixar o novo teto em 1,5 salário mínimo ou determinar na PEC que os valores dos mínimos regionais devem ser considerados.

Impacto financeiro

No abono salarial referente ao ano-base 2017-2018, 289 mil trabalhadores paranaenses estavam elegíveis para o recebimento do benefício. Os pagamentos a esses trabalhadores totalizam R$ 231 milhões.

Segundo cálculos da Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado Federal, em todo o país a redução do teto para recebimento do abono para um salário mínimo traria uma economia de R$ 150 bilhões para o governo federal no prazo de dez anos.

A economia seria possível porque com o novo teto, 89% dos beneficiários de todo o país seriam excluídos do benefício. Dos atuais 23,9 milhões beneficiários, restariam – caso aprovado o texto do modo como foi enviado – 2,6 milhões.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • R

    Robson Santos

    ± 2 horas

    Quantos bilhões seriam economizados se cortassem drasticamente todas as mamatas do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário? Agora tirar dinheiro de pobre é fácil, os reais "privilegiados' que são eles próprios, nada muda. Então não venham defender essas atitudes nefastas que culpam os mais pobres pelo rombo dos cofres públicos, saqueados por "TODA" essa corja, "TODA ELA", a séculos, porque você tem uma "tara" por políticos bandidos que representam seu pensamento racista, homofóbico, machista e misógino.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • C

      CARLOS FELIX

      ± 2 horas

      De****dos analfabetos funcionais, sempre onerando a população.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      Fim dos comentários.