Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Vacinação da Covid-19 no Paraná.
Vacinação da Covid-19 no Paraná.| Foto: Jose Fernando Ogura/AEN

Enquanto o governo do estado vislumbra a possibilidade de ampliar a oferta de vacinas da Covid-19 enviadas pelo Ministério da Saúde ainda em abril, planejando inclusive aplicação de domingo a domingo e horário estendido de vacinação até meia-noite, a prefeitura de Curitiba cobra doses para agora.

Receba notícias do Paraná no seu WhatsApp

Além da capital, que segue aplicando apenas a segunda dose da vacina em idosos e profissionais da saúde, seis cidades do Paraná já estavam sem vacina para a primeira aplicação segunda-feira: Paranaguá, Cianorte, Maringá, Cascavel, Guarapuava e Ponta Grossa. A previsão era de que o Ministério da Saúde enviasse uma nova remessa de imunizantes no último final de semana, o que não ocorreu. A previsão agora é de que o governo federal envie um novo lote ainda nessa semana, mas sem data definida. Segunda-feira (5), o Instituto Butantan entregou um milhão de doses da Coronavac para o Ministério da Saúde distribuir aos estados.

Em Curitiba, o estoque para a vacinação da segunda dose acaba no próximo dia 14. Porém, desde sábado (2), a capital está sem doses para a primeira aplicação. Foram reservadas apenas 870 ampolas para a primeira vacinação de agentes da segurança pública nesta terça-feira (6), quando está sendo vacinado um pequeno grupo de bombeiros, guardas municipais e servidores do Instituto Médico Legal (IML) do total de 5 mil servidores da área que atuam na capital.

“Vamos aplicar essas 870 vacinas nas forças de segurança terça-feira e depois acabou [a primeira dose]”, enfatiza a secretaria municipal de Curitiba, Márcia Huçulak, em entrevista ao jornal Meio Dia Paraná, da RPC, de segunda-feira (5).

Na mesma entrevista, Márcia cobrou publicamente do governo do estado mais vacinas. “A gente adoraria vacinar de domingo a domingo, mas precisa ter dose, governador”, disse a secretaria de Saúde de Curitiba ao se referir ao plano estadual de vacinação em todos os dias da semana anunciado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) no fim de março.

Segunda-feira, Curitiba recebeu da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) mais 92.575 ampolas. Mas todas são para completar a segunda dose de idosos. Marcia ainda citou o próximo grupo de idosos que receberá a primeira aplicação. “Só o grupo de 66 anos são 12 mil pessoas. Não vou fazer sorteio nem chamar pessoas sem ter garantia de doses”, enfatiza. ”Estamos torcendo para que venham muitas doses, mas infelizmente não podemos e não vamos ser levianos de anunciar um calendário sem doses ou com um número pequeno de doses”, completou a secretária de saúde à RPC.

Reunião no Ministério da Saúde

O governador e o secretário estadual de Saúde, Beto Preto se reúnem com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na tarde desta terça-feira (6) em Brasília. Na pauta, pedido de ajuda ao governo federal no enfrentamento da pandemia, como no financiamento de leitos de UTI e, principalmente, no envio de mais vacinas ao estado.

“Vamos reivindicar mais vacinas para dar mais velocidade à imunização no estado, com vacinação de domingo a domingo e o corujão da vacina, em que serão aplicadas doses até meia-noite uma vez por semana”, declarou o governador na manhã desta terça, ao anunciar um pacote emergencial para ajudar micro e pequenos empreendedores durante a pandemia.

Segunda-feira, o secretário Beto Preto afirmou que o Ministério da Saúde pretende distribuir 30 milhões de doses da vacina ainda no mês de abril. Desse montante, cerca de 1,5 milhão de doses viriam para o Paraná, segundo estimativa do secretário. “Podemos, com isso, chegar a aplicar por dia 150 mil a 200 mil pessoas e nos próximos dias iremos vacinar até a meia-noite ao menos um dia na semana”, disse Beto Preto também em entrevista ao telejornal Bom Dia Paraná, da RPC.

9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]