i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Quem tem boca...

Greca, Ratinho, Boca Aberta. Veja as frases quentes da semana na política do PR

  • PorGazeta do Povo
  • 30/08/2019 19:48
Greca, Ratinho, Boca Aberta. Veja as frases quentes da semana na política do PR
| Foto:

A semana derradeira de agosto foi fértil em frases de impacto no Paraná. Algumas se destacam por serem frases de efeito; outras, pelas mensagens contundentes que passam aos interlocutores. Selecionamos alguns desses exemplos. Confira:

Rafael Greca

Rafael Greca
O Prefeito Rafael Valdomiro Greca de Macedo em entrevista na redação do jornal Gazeta do Povo.| Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

Na terça-feira, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM) reclamou da dificuldade que vem tendo para receber recursos federais para obras viárias. Ao cobrar o governo, além de um sonoro "Mexam-se", chegou a lembrar um dos slogans de campanha do então candidato Jair Bolsonaro: "Por favor: mais Brasil e menos Brasília".

Mexam-se e ajudem as cidades, que é onde as pessoas vivem

Rafael Greca, prefeito de Curitiba

No mesmo dia, Greca também defendeu a inclusão dos estados e municípios na reforma da Previdência. Afirmou ainda que a não aprovação da PEC "desmancharia a Federação". Durante seu raciocínio, criticou a distribuição dos impostos, dizendo que a cada R$ 4 arrecadados, apenas R$ 1,5 chega aos cofres de Curitiba.

O Brasil inteiro dá e Brasília tira

Rafael Greca

Ratinho Junior

Governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD)
Governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD)| Arnaldo Alves/ANPr

Um dia antes do prefeito, o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) já tinha soltado a língua. Foi durante o anúncio de um pacote de investimentos, um banco de projetos de infraestrutura que até o fim mandato implicaria em aportes de R$ 350 milhões. Em certa altura do discurso, ao enfatizar o Paraná como potência mundial, apontou um novo motivo para o entrevero entre o presidente francês Emmanuel Macron e o presidente brasileiro Jair Bolsonaro: a França tem medo dos produtores paranaenses.

A França está brigando com a gente não é por causa de árvore, não. É porque a partir do momento de um acordo com a União Europeia, os nossos agricultores vão dominar o mercado que eles dominam hoje

Ratinho Junior (PSD), governador do Paraná

Norberto Ortigara e Antônio de Oliveira Sampaio

Norberto Ortigara
Norberto Ortigara, secretário de estado da Agricultura.| Divulgação/SEAB

Quem não perdeu a oportunidade de demonstrar suas convicções foi o secretário estadual de Agricultura, Norberto Ortigara, ao falar sobre a discussão a respeito do fim da vacinação de febre aftosa nos rebanhos do estado. A questão foi motivo de audiência pública na quarta-feira (28) e tem dois lados claramente distintos: aqueles que defendem a antecipação do fim da vacinação, abrindo mercados novos para a carne bovina local; e aqueles que entendem que a medida é perigosa e traz poucos benefícios.

Quando vacino, mostro uma cara de doente para o mundo

Norberto Ortigara, secretário estadual de Agricultura

Quero beber água limpa

Norberto Ortigara, usando a analogia para defender que é importante o estado ser o primeiro a chegar aos mercados que, em tese, se abririam com o fim da vacinação de febre aftosa no Paraná

Representante do outro lado da contenda, Antônio de Oliveira Sampaio, presidente da Sociedade Rural do Paraná, já aceita ser voto vencido, mas nem por isso desistiu de protestar oficialmente. Ele entende que, com o fim da vacinação, a fraca fiscalização transformaria o surgimento de qualquer foco da doença em "uma catástrofe".

[...] que conste em ata que fomos contra

Antônio de Oliveira Sampaio, presidente da Sociedade Rural do Paraná

Oriovisto Guimarães

Oriovisto Guimarães
Senador Oriovisto Guimarães discursa no Plenário.| Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Oriovisto Guimarães (Podemos) vira e mexe em declarações - e postura - fortes. O professor e empresário paranaense é o autor de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prevê um limite para pedidos de vistas no Supremo Tribunal Federal (STF) e proíbe decisões monocráticas em ações de controle concentrado de inconstitucionalidade - quando se verifica se as normas estão em conformidade com a Constituição. A PEC tem sido vista como um freio ao ativismo judicial, quando o Judiciário avança sobre atribuições dos outros poderes.

Nos nossos dias, uma lei pode ser aprovada por 513 deputados, 81 senadores, sancionada pelo presidente da República e, simplesmente com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, um único ministro do Supremo Tribunal Federal pode declarar essa lei inconstitucional e ela ficar por prazo indefinido sem uma solução

Oriovisto Guimarães (Podemos), senador do Paraná

Pedro Lupion

Pedro Lupion
O deputado federal Pedro Lupion.| Leandro Barros/Câmara dos Deputados

Na terça-feira (27), o deputado federal paranaense Pedro Lupion (DEM) deu parecer favorável à admissibilidade da PEC 187 na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A medida permite que comunidades indígenas possam exercer atividades agropecuárias e florestais em suas reservas.

A proposta permite que o índio produza e possa comercializar essa produção para não depender mais de ONGs

Pedro Lupion (DEM), deputado federal pelo Paraná

Boca Aberta

Deputado Boca Aberta
Deputado federal Boca Aberta.| Luís Macedo/Câmara dos Deputados

Integrantes do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados deram início nesta semana a uma denúncia contra o deputado paranaense Boca Aberta (Pros) por quebra do decoro parlamentar. A origem da confusão é um vídeo gravado pelo político em uma visita surpresa a um hospital de Jataizinho, na região de Londrina, durante a madrugada. Um médico que dormia naquele momento, em que não havia pacientes aguardando atendimento, foi duramente criticado pelo deputado na gravação, que viu irregularidade na situação. Sobre a decisão dos colegas, Boca Aberta se diz vítima de um golpe.

Tem parlamentar lá que dorme na Papuda (presídio de Brasília) e de tarde vai na Câmara trabalhar e o Conselho de Ética quer dar uma reprimenda em mim? É um golpe, um tapetão

Boca Aberta (Pros), deputado federal pelo Paraná
4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 4 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • C

    C R Berger

    ± 15 horas

    Restaurantes de Brasilia não vem a hora do Macedo retornar para lá.https://www.gazetadopovo.com.br/parana/prefeitura-bancou-refeicoes-de-luxo-para-greca-e-assessores/

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • C

      C R Berger

      ± 15 horas

      Que barbaridade: Acorda Senador Oriovisto. Se um ministro do STF diz que é inconstitucional é porque os de****dos e senadores "comeram bola" aprovando algo que era inconstitucional. Bem simples!!!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • W

        Wilbur Archibald III

        ± 18 horas

        Ninguém mais fala do Requião, que descanse em paz, velho xarope.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • M

          Marcos

          ± 22 horas

          O eleitor precisa parar de nhenhené e cobrar resultado, igual nas empresas particulares. Você, trabalhador, não rendeu o que o patrão queria, é rua. Ninguém da empresa, nem mesmo os colegas de sala, ficam comovidos. Se ficarem, é por 1 semana e na 2a semana acham que quem saiu deveria ter saído mesmo. Assim, deste jeito. Não importa o que estas caras políticas falam, não dá nem para acreditar mais. O que vale é a obra entregue, na rua da tua casa, na escola onde teus filhos estudos, no hospital público mais proximo da tua casa. Se esta gente não é capaz nem de passar uma tinta para enganar, então é rua mesmo. Aprendam a demitir político na rua. Se não você não tiver resultado prático, tchau!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.