i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Licitação

Governo do Paraná admite irregularidade e suspende edital para manutenção da frota

  • Por Catarina Scortecci
  • 10/12/2019 15:06
Governo do Paraná admite irregularidade e suspende edital para manutenção da frota
| Foto: Divulgação/Governo do Paraná

Com base em questionamentos feitos pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), o governo estadual resolveu suspender o edital de licitação 389/2019, aberto para contratar via pregão eletrônico uma empresa responsável por oferecer os serviços de manutenção e conserto dos veículos oficiais, através de uma rede credenciada de oficinas mecânicas. As propostas dos concorrentes seriam conhecidas já nesta quinta-feira (12). Agora, o edital de licitação está sendo modificado, e possivelmente republicado nesta quarta-feira (11).

No edital de licitação 389/2019, agora suspenso, o governo estadual reservava até R$ 147.888.904,00 para a contratação, por um período de dois anos. A frota oficial é composta por cerca de 18 mil veículos. Os concorrentes devem oferecer uma rede credenciada com no mínimo 494 estabelecimentos em todo o estado para "atendimento de veículos leves, médios, pesados e motocicletas" e ao menos 30 estabelecimentos especializados para "atendimento dos serviços de manutenção de máquinas, tratores, equipamentos rodoviários, agrícolas e embarcações".

Em ofício assinado pelo secretário de Estado da Administração e da Previdência, Reinhold Stephanes, e encaminhado para a 5ª Inspetoria de Controle Externo do TCE, o governo do Paraná reconhece problemas e propõe soluções. “De fato, a exigência de comprovação do licitante de que detém a licença de utilização do software não deve constar como requisito de habilitação (...). Reconhecido o equívoco, o edital será republicado, deixando de constar tal exigência”, escreve ele, em relação a um dos pontos questionados pelo órgão de controle.

“A Administração reconhece as falhas do edital e compromete-se a corrigi-las por meio da sua republicação, que concederá novo prazo aos licitantes, para que preparem suas propostas. Informamos, ademais, que tais falhas não ocorreram por dolo e, também, não se tratam de falhar grosseiras que maculem definitivamente o andamento do certame, eis que podem e devem, de pronto, serem corrigidas, para o melhor atendimento do interesse público”, pondera Stephanes.

A contratação de um serviço para cuidar da frota oficial tem sido marcada por polêmicas. A antiga contratada pelo governo do Paraná, a JMK Serviços, foi alvo da Polícia Civil no primeiro semestre deste ano, no âmbito da Operação Peça Chave. Na esteira disso, o governo estadual fez um contrato emergencial com a Maxi Frota, no valor de até R$ 38.657.957,20 por 180 dias. O contrato emergencial acaba em 14 de janeiro de 2020.

CPI da JMK

O edital de licitação 389/2019 também tinha sido questionado pelo deputado estadual Soldado Fruet (Pros), que na Assembleia Legislativa é presidente da "CPI da JMK". A crítica do parlamentar é quanto ao valor máximo do pregão eletrônico (quase R$ 150 milhões por um ano), considerado alto pelo político.

A CPI da JMK deve encerrar os trabalhos às vésperas do recesso parlamentar, previsto para o próximo dia 17. Uma reunião do colegiado foi realizada nesta terça-feira (10), mas não houve discussão sobre o conteúdo do relatório final, elaborado pelo deputado estadual Delegado Jacovós (PR). Um novo encontro foi marcado para segunda-feira (16).

Conteúdo editado por:Katia Brembatti
2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • S

    Sr. Walker

    ± 0 minutos

    Para resolver os problemas nos contratos de manutenção dos veículos é só chamar de volta aquele primo do ex-governador bunitinho beto lula richa

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • K

    Klin

    ± 18 horas

    É só ver o que fez com o plantel do Londrina este ano. Isto é administrar para si próprio. O torcedor fica chupando no dedo. Aprendam com o passado e livrem-se dos picaretas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]