Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Objetivo é aumentar acervo de amostras de rede integrada que ajuda a solucionar casos de pessoas desaparecidas no país
Objetivo é aumentar acervo de amostras de rede integrada que ajuda a solucionar casos de pessoas desaparecidas no país| Foto: Divulgação/Sesp

O Paraná terá 17 dos 184 pontos de coleta de material genético em todo o Brasil da Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas, que será realizada entre a próxima segunda-feira (14) e a sexta-feira seguinte (18). O projeto, parceria do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) com as secretarias estaduais de segurança, visa aumentar o acervo de amostras da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), cuja base é utilizada para solucionar casos de pessoas desaparecidas no país.

RECEBA notícias de Paraná pelo seu celular

Segundo o MJSP, cerca de 80 mil pessoas desaparecem por ano no Brasil. Porém, a RIBPG possui apenas 3.088 amostras de DNA de familiares de pessoas desaparecidas, das quais 112 estão no banco do Paraná. Esse número corresponde a somente 3,5% do total de nomes cadastrados no Sistema de Pessoas Desaparecidas do estado, que tem 3.202 desaparecidos.

"Precisamos divulgar ao máximo a coleta de DNA de familiares de pessoas desaparecidas, para contribuir com maior capilaridade dessa campanha tão importante para o país e, principalmente, para os familiares dessas pessoas. A busca e a localização das pessoas desaparecidas é uma questão urgente. Precisamos dar uma resposta às milhares de famílias que vivem esse drama diariamente. Quanto mais pessoas doarem, maior a chance de mudar essa triste realidade”, aponta João Carlos Ambrósio, coordenador-geral de Pesquisa e Inovação do MJSP.

Durante a campanha, familiares de primeiro grau (pai, mãe, filhos e irmãos) de pessoas desaparecidas podem se apresentar voluntariamente nos pontos de coleta para doar algum tipo de amostra genética. Além disso, objetos de uso pessoal do desaparecido, como escova de dentes, pente, aparelho de barbear, aliança, entre outros, também serão aceitos para possíveis extrações do DNA da pessoa desaparecida.

A campanha da próxima semana também tem o objetivo de colaborar na identificação de 3.856 restos mortais que integram o cadastro da RIBPG. Desse total, 2,44% são do Paraná.

No Paraná, os pontos de coleta serão 17 sedes da Polícia Científica. Confira os endereços:

  • Curitiba: Rua Paulo Turkiewicz, 150 – Tarumã
  • Londrina: Avenida Dez de Dezembro, 4300 – Igapó
  • Maringá: Avenida Mandacaru, 560 - Jardim Progresso
  • Guarapuava: Rua Engenheiro Antônio Rebouças, 1747 - Santa Cruz
  • Cascavel: Rua da Bandeira, 1301 - Centro
  • Ponta Grossa: Rua Penteado de Almeida, 811 - Centro
  • Paranaguá: Rua Padre Albino, 30 - Campo Grande
  • Francisco Beltrão: Rua Vereador Romeu Lauro Werlang, 345 - Centro
  • Foz do Iguaçu: Rua Rosa Cirilo de Castro, 1050 - Jardim Polo Centro
  • Apucarana: Rua Professor Erasto Gaertner, 786 - Centro
  • Campo Mourão: Avenida Manoel Mendes de Camargo, 230 - Bela Vista
  • Jacarezinho: Rua Álvaro Brochado, 1634 - Nova
  • Paranavaí: Rua Albino Silva, 470 - Jardim Canadá
  • Umuarama: Avenida da Estação, 2400 - Zona VI
  • União da Vitória: Rua Coronel João Gualberto, 337 - Centro
  • Toledo: Av. Maripá, 1327 - Jardim Europa
  • Ivaiporã: Praça Emílio Menezes, s/nº - Centro
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]