Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, entre outras autoridades, ao final do leilão do PAR32
O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, entre outras autoridades, ao final do leilão do PAR32| Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

A FTS Participações Societárias S.A., representada pela corretora Ativa Investimentos, venceu nesta quarta-feira (30) o leilão do terminal PAR32, destinado à movimentação de carga geral, em especial açúcar ensacado, no Porto de Paranaguá, no Litoral do Paraná. Trata-se do segundo leilão conduzido pela empresa pública Portos do Paraná na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). No mesmo leilão, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) promoveu o arrendamento de áreas nos portos de Santos, em São Paulo, e de Suape, em Pernambuco.

O terminal no Porto de Paranaguá já possui estrutura física e tem 6.651 metros quadrados. Ele está localizado na área primária (cais) do porto paranaense. O prazo do arrendamento será de 10 anos, prorrogáveis a critério do poder concedente. O investimento privado esperado é de, no mínimo, R$ 4,17 milhões, ao longo dos 10 anos. De acordo com estimativa divulgada pelo Ministério da Infraestrutura, o contrato deve gerar 57 empregos.

No leilão, houve duas propostas: uma apresentada pela FTS Participações Societárias S.A., do grupo Fortesolo; e outra levada pelo TEAPar (Terminal Portuário de Paranaguá Ltda), que tem como sócios a Tereos e o grupo Marcon Logística Portuária. O critério para definição da vencedora foi o maior valor de outorga. Em lances a viva voz, a primeira ofereceu R$ 30 milhões em outorga. A segunda, representada pela corretora Nova Futura, fez uma oferta menor, de R$ 25 milhões.

O grupo Fortesolo já opera em Paranaguá e Antonina. “Vamos aumentar o portfólio de serviços para os clientes e também nossa competitividade no mercado”, disse o diretor Institucional da FTS, Alexandro Ávila.

O diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, e o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), estavam presentes no leilão e fizeram discursos breves ao final da disputa, comemorando o resultado. "Os leilões que participamos aqui na B3 têm sempre surpreendido de forma positiva, com ágios superiores ao programado. Isso demonstra a confiança do setor empresarial na força da economia paranaense", disse Ratinho Junior.

Ainda em 2022, outras duas áreas do Porto de Paranaguá – o PAR14 e o PAR15 – também devem ser licitadas. A Portos do Paraná recebeu autonomia para administrar os contratos de exploração de áreas em agosto de 2019.

"Os arrendamentos permitem explorar áreas não ocupadas ou exploradas por meio de contratos precários. A intenção é tornar o Porto de Paranaguá cada vez mais eficiente e compatível com o nível de desempenho necessário para a logística brasileira. Com a atração de novos negócios, novos empregos são criados, o município recebe mais impostos e a cidade se desenvolve. O porto tem um papel fundamental para a economia e para a vida das pessoas”, afirmou Luiz Fernando Garcia.

 Leilão do PAR32, no Porto de Paranaguá, foi realizado nesta quarta-feira (30), em São Paulo. Imagem: Reprodução/Portos do Paraná
Leilão do PAR32, no Porto de Paranaguá, foi realizado nesta quarta-feira (30), em São Paulo. Imagem: Reprodução/Portos do Paraná
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]