Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
A Ferroeste hoje liga Cascavel a Guarapuava.
A Ferroeste hoje liga Cascavel a Guarapuava.| Foto: Alessandro Vieira/AEN

Três ramais da Nova Ferroeste (projeto de uma nova linha férrea ligando o Mato Grosso do Sul a Paranaguá) serão autorizados nesta quinta-feira (9), em Brasília, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). São eles: Cascavel - Foz do Iguaçu, Cascavel - Chapecó e Dourados – Maracaju. Nos próximos dias um quatro trecho também deverá ganhar autorização: Guarapuava – Paranaguá.

Cadastre-se e receba as principais notícias do Paraná pelo WhatsApp

O sinal verde para os ramais dá robustez ao projeto da Nova Ferroeste e deve impactar significativamente em sua valorização e na atração de investidores no leilão previsto para o segundo trimestre de 2022.

Isso porque, em grande parte, são os ramais que vão garantir o transporte das mercadorias até o traçado principal para o escoamento da produção para o porto de Paranaguá. Hoje, o traçado da Ferroeste vai de Cascavel a Guarapuava. Quando concluída, a linha férrea terá 1.304 quilômetros ligando Maracaju (MS) a Paranaguá (PR).

“O acesso ao porto é fundamental, mas tem que ter carga e a carga vem dos ramais”, destaca Luiz Henrique Fagundes, coordenador do Plano Estadual Ferroviário. Segundo ele, com exceção do trecho Cascavel-Chapecó, cuja solicitação foi feita por último, todos os demais já estão incluídos no valor total estimado para a obra, que é de R$ 29,4 bilhões. Os trechos estão contemplados também no Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e no Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), protocolados no Ibama em 23 de novembro.

“Com isso, a execução do trecho Cascavel-Chapecó entrará no edital de licitação como opcional. O vencedor do leilão, caso não tenha interesse, não precisará executá-lo”, esclarece Fagundes. A expectativa, no entanto, é por sua construção uma vez que trata-se de um percurso com grande demanda, tanto por levar o milho do Mato Grosso do Sul para o oeste catarinense como, no outro sentido, trazendo a proteína animal de Santa Catarina para o porto de Paranaguá.

Novos ramais se enquadraram em programa de desburocratização de novas ferrovias

A assinatura da autorização dos ramais acontece às 10 horas desta quinta-feira, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Participam os ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), Paulo Guedes (Economia), Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Agricultura) e Bento Albuquerque (Minas e Energia). Representam o Paraná o  diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves, e o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes

Serão assinadas autorizações para todo o Brasil. São os ramais aprovados a partir da Medida Provisória 1065, que desburocratizou o procedimento para a construção de novas ferrovias, em pequenos trechos, facilitando a exploração pela iniciativa privada e atraindo investimentos.

Nesta quarta-feira (7), Gonçalves e Fagundes apresentaram o projeto da Nova Ferroeste na Câmara Federal. O pedido para a apresentação partiu do líder da bancada paranaense, deputado Toninho Wandscheer (PROS).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]