i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tecnologia

TJ-PR usa robôs para agilizar bloqueio de bens e trâmite de processos

  • Por Célio Yano
  • 22/01/2020 15:30
Inteligência artificial acelera processos judiciais.
Inteligência artificial acelera processos judiciais.| Foto: Pixabay

A inteligência artificial chegou ao Judiciário paranaense para agilizar a tramitação de processos e rotinas administrativas. Uma das ferramentas já utilizada por 11 varas, ainda de forma experimental, faz a comunicação ativa entre o Projudi (Processo Eletrônico do Judiciário do Paraná) e o BacenJud (sistema eletrônico do Banco Central), para a realização, de forma automática, de solicitações judiciais como bloqueios de valores em instituições financeiras.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

Nas varas que ainda não utilizam a ferramenta, um servidor precisa fazer o lançamento dos dados do devedor no sistema do Banco Central (Bacen) de forma manual. Para isso, é necessário o preenchimento de um relatório que, após enviado, leva até 48 horas para ser validado.

Com o novo sistema, o preenchimento do documento é feito por um robô, que colhe os dados do Projudi automaticamente. Isso reduz o prazo para tramitação do processo, além de reduzir erros de digitação.

Entre setembro, quando a ferramenta começou a ser utilizada experimentalmente, e dezembro, mais de 4,5 mil pedidos de bloqueio foram realizados, segundo o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). Em valores, o robô auxiliou o bloqueio de mais de R$ 3,5 milhões nesses três primeiros meses.

Outra funcionalidade disponibilizada pelo Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) do TJ é a busca automática de endereços disponíveis na plataforma do Bacen. Entre setembro e dezembro, mais de 16 mil buscas de endereços de partes envolvidas em processos foram feitas no BacenJud por 240 varas em todo o estado.

De acordo com o TJ, em média, a ferramenta automatizada permite uma redução de tempo de cinco minutos para cada busca, o que significa uma economia de mais de 1,3 mil horas apenas nesses três primeiros meses de operação. Em apenas um dia, um servidor realizou 279 buscas.

Criado em 2001, o sistema BacenJud já facilitou bastante a tramitação de processos que envolvem a requisição de informações a instituições financeiras, como existências de contas, extratos e saldos bancários e endereços de pessoas físicas e jurídicas; e a determinação de bloqueios, desbloqueios e transferências de valores.

Anteriormente, as ordens judiciais para pagamento de alguma dívida em juízo, por exemplo, eram encaminhadas pelos magistrados aos bancos por meio de ofício, e a lentidão para a efetivação do bloqueio permitia até mesmo que os recursos fossem sacados antes da execução da ordem. Segundo o Bacen, o processo é realizado em ambiente seguro, por meio de tecnologia de criptografia.

A inteligência artificial já é utilizada por Tribunais de Justiça de diversos estados brasileiros, como Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rondônia, Pernambuco e Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, um estudo publicado em 2019 mostrou que o sistema de inteligência artificial conseguiu analisar 6.619 processos em pouco mais de três dias. A demanda levaria dois anos e cinco meses para ser cumprida por um funcionário que estivesse dedicado exclusivamente à atividade. Além disso, o porcentual de erros da máquina foi de 0,05%, enquanto no procedimento humano, o índice chega a 15%.

No Paraná, o chamado Projeto de Inteligência Artificial e Automação (PIAA) começou a ser desenvolvido no início de 2019. Segundo o TJ, além da ferramenta de geração das minutas de solicitação judicial junto ao Bacenjud, estão sendo criados robôs para a identificação de casos de prescrição, permitindo a extração, de forma automática, dos dados de certidão de dívida ativa (CDA).

Uma possibilidade ainda em estudo é utilizar a inteligência artificial em atividades mais complexas, como o processamento de textos para sugestão de acórdãos já estabelecidos pela jurisprudência do Tribunal. Outro uso possível seria no processamento de informações para reconhecer a existência dos requisitos necessários para que determinados recursos sejam encaminhados a tribunais superiores.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.