Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa.
Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa.| Foto: Rodrigo Félix Leal/ ANPr

O Paraná tem, oficialmente, 283 cidades com vocação turística – mas a gente aposta que a maioria das pessoas consegue nomear, no máximo, três destinos no estado: Foz do Iguaçu, Curitiba e litoral.

Entre o planalto e o mar, há uma infinidade de mundos, sotaques e experiências a serem explorados. São cachoeiras, grandes trechos de mata preservada, corredeiras, monumentos históricos, balneários de água doce e colônias de imigrantes. É nessa diversidade cultural, histórica e natural que o Paraná quer apostar para fazer do turismo uma alavanca econômica para o estado. Veja no mapa quais são estes destinos.

A ideia não é nova: há alguns anos se fala da necessidade de reforçar o Paraná como destino, e explorar a tal identidade regional de que muita gente ainda desdenha e diz não existir. Mas, dessa vez, há otimismo no ar.

O turismo ganhou status de prioridade no estado. Tanto a iniciativa privada quanto o governo têm agido juntos para ampliar a divulgação, a infraestrutura e a capacitação para a atividade no Paraná. O objetivo é mostrar que mesmo aquele pequeno município que parece longe de tudo e esquecido por Deus tem seus recantos e riquezas inexploradas – e que elas podem ser uma alternativa de renda e emprego para muita gente, em especial em tempos de economia bicuda.

“É um emprego barato, que exige pouco investimento se comparado a outros setores e promove desenvolvimento socioeconômico, ambiental e sustentável”, diz Antonio Azevedo, presidente da Abav-PR (Associação Brasileira das Agências de Viagem no Paraná). O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), que elegeu o tema como prioridade, pretende transformar até a Ilha das Cobras, antiga casa de veraneio do governador no litoral do estado, em escola de culinária e hotelaria para a região. Ele gosta de citar um estudo que mostra que a criação de um emprego no turismo custa em média 1 mil dólares, contra 4 mil dólares na indústria.

Em meio a uma economia cuja recuperação ainda patina, o mercado é animador: o turismo cresceu 7% no Brasil em 2017, e a expectativa é que continue aquecido pelos próximos anos. O brasileiro tem viajado mais, e alguns dos principais destinos do país já sofrem com gargalos de infraestrutura e hotelaria.

“Há uma saturação muito grande de outros destinos do país, e cada vez mais gente viajando. Isso favorece o surgimento de novos destinos. Então, há demanda”, comenta João Jacob Mehl, presidente da Paraná Turismo, órgão do governo estadual. “E olha o quanto de diversidade temos no Paraná e que não foi aproveitado.”

Hoje, o Paraná é o terceiro principal destino entre os estados brasileiros – principalmente por causa das Cataratas do Iguaçu, patrimônio mundial da humanidade, e de Curitiba e sua vocação para o turismo de eventos. A ideia do governo é ampliar as rotas turísticas nesse miolo, usando Foz e Curitiba como polos indutores e bases de chegada. A meta é aumentar a permanência média do turista em 30%.

“A economia do futuro é o turismo”, afirma Marcelo Franco, membro do conselho diretor do CCVB (Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau). “É uma indústria de energia limpa, que tem uma cadeia gigante de fornecedores e gera um impacto positivo na economia.”

Mas não é preciso investimento milionário para gerar riqueza com o turismo. Cenários naturais ou tipicamente locais podem ser um atrativo por si só, como afirma a coordenadora de turismo do Sebrae/PR, Patrícia Albanez. “Temos a principal área de Mata Atlântica conservada do país; um litoral com destinos únicos, de natureza; um turismo rural riquíssimo”, comenta.

O que é que o Paraná tem

O Paraná possui 14 regiões turísticas mapeadas, cada uma com seus atrativos e peculiaridades. Tem roteiro para todo gosto: ecoturismo, passeios de aventura, destinos religiosos, circuitos rurais, atrações históricas e roteiros gastronômicos. Vai fazer uma viagem a negócios ao Paraná? Está visitando um parente? De leste a oeste, veja o que se pode conhecer no Paraná:

  1. Rotas do Pinhão: no entorno de Curitiba, que se destaca pelo planejamento urbano, parques e museus, há rotas de turismo rural, como o Circuito Italiano de Colombo, e o Caminho do Vinho, em São José dos Pinhais. Também é possível fazer escaladas, rafting e trilhas no parque do Marumbi
  2. Campos Gerais: situada entre campos e escarpas, a região tem atrativos naturais como o cânion do Guartelá e o Parque Estadual de Vila Velha. Colônias de imigrantes em Witmarsum, Castro e Carambeí vivenciam as tradições alemã e holandesa, com pratos típicos como o pão no bafo, em Palmeira. Túneis ferroviários desativados são usados para passeios offroad
  3. Norte Pioneiro: uma das portas de entrada da colonização no Paraná, é marcada pela religiosidade demonstrada na Rota do Rosário, que reúne 11 santuários na região. A produção de cafés especiais, o turismo rural e atividades náuticas em represas da região também atraem turistas
  4. Norte do Paraná: marcada pela imigração japonesa e pela cultura cafeeira, a região oferece vastas paisagens rurais, a Rota do Café e uma das mais altas temperaturas do Paraná. O turismo náutico no rio Paranapanema, com grandes reservatórios, contará em breve com o primeiro hotel da rede Hard Rock no Brasil
  5. Vale do Ivaí: o principal potencial da região está no turismo religioso, em cidades como Lunardelli e Apucarana, e nas belezas naturais, que são exploradas pelo turismo rural e em caminhadas
  6. Ecoaventuras, Histórias e Sabores: pousadas rurais e santuários são os principais atrativos do noroeste do Paraná, que também abriga ruínas arqueológicas de uma cidade espanhola colonial, em Fênix, e o tradicional prato do Carneiro no Buraco, em Campo Mourão
  7. Corredores das Águas: com altas temperaturas no verão, a região é procurada por seus balneários de água doce e atividades como o mergulho de cilindro no rio Paraná, um dos maiores rios do Brasil, para a observação de peixes, tartarugas e até embarcações afundadas a até dez metros de profundidade
  8. Entre Morros e Rios: cavalgadas, tropeadas e pousadas rurais mantêm viva a herança dos tropeiros. Trechos do lendário Caminho do Peabiru, estrada milenar que ligava o oceano Atlântico ao Pacífico, também cortam a região e vêm sendo explorados por pesquisadores
  9. Cataratas e caminhos: terra das Cataratas do Iguaçu, a região tem balneários de água doce ao redor do Lago de Itaipu e alguns parques termais. Rotas religiosas, turismo de pesca e cicloturismo também são opções para o visitante, além da grande área de floresta preservada
  10. Riquezas do Oeste: polo da agroindústria no Paraná, se destaca pelo Porco no Rolete e por eventos automobilísticos como arrancadões, rallys e fórmulas truck
  11. Lagos e Colinas: margeada pelo rio Iguaçu, a região tem inúmeros reservatórios hidrelétricos que servem para a prática de atividades náuticas e pesca esportiva
  12. Terra dos Pinheirais: o destaque natural são as cachoeiras gigantes em Prudentópolis. As colonizações ucraniana, alemã e italiana também marcam a região, que oferece um roteiro da cevada em Guarapuava e a Rota do Vinho, em Bituruna
  13. Vales do Iguaçu: na divisa com o oeste de Santa Catarina, tem forte colonização italiana com potencial para o turismo rural. O clima frio e as reservas de araucárias marcam o território, que também oferece opção de compras na divisa com a Argentina.
4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]