034916

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. República
  4. Olavo de Carvalho nega ser guru de Bolsonaro e critica visita do PSL à China

intelectual da direita

Olavo de Carvalho nega ser guru de Bolsonaro e critica visita do PSL à China

Filósofo de direita busca se afastar do governo e condena grupo de parlamentares do partido do presidente que viajaram à China para conhecer um sistema de reconhecimento facial que seria instalado em aeroportos brasileiros

  • São Paulo
  • Estadão Conteúdo e Folhapress
  • Atualizado em às
Olavo de Carvalho influenciou na escolha de dois ministros. | Rodolfo Bührer
Olavo de Carvalho influenciou na escolha de dois ministros. Rodolfo Bührer
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A visita de uma comitiva de deputados do PSL à China para conhecer um sistema de reconhecimento facial desenvolvido no país asiático foi alvo de críticas do filósofo da direita Olavo de Carvalho, um dos pensadores ligados ao governo de Jair Bolsonaro(PSL). Ele também negou ser o “guru do governo Bolsonaro”.

“Tem uma turma que fica dizendo aí que eu sou o guru do governo Bolsonaro. Se eu fosse, a primeira coisa que não estaria acontecendo é esta viagem de meia dúzia de senadores e deputados do PSL à China para negociar a instalação do sistema de reconhecimento facial nos aeroportos”, disse Carvalho em um vídeo publicado em seu perfil no Youtube. “O que vocês sabem do sistema chinês? Vocês estão fazendo uma loucura, entregando o Brasil à China.”

Podcast: Como Olavo de carvalho de tornou o intelectual mais poderoso do Brasil

Olavo nega ter influência sobre o novo governo, mas estaria por trás de duas indicações à Esplanada dos Ministérios, as de Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Ricardo Vélez (Educação). O filósofo é bastante popular entre o eleitorado de direita que constitui o núcleo da popularidade bolsonarista e é frequentemente citado pelos filhos do presidente em comentários nas redes sociais.

Carvalho diz que sistema abre Brasil à espionagem chinesa

O filósofo comentou que a empresa que estaria por trás do convite aos deputados é a Huawei, uma gigante de tecnologia que teve representantes presos recentemente por espionagem na Polônia e Canadá, este último a pedido dos Estados Unidos. Segundo ele, a instalação do sistema nos aeroportos brasileiros vai expor o país ao que chamou de maior sistema de espionagem do mundo.

“Instalar esse sistema nos aeroportos brasileiros é entregar ao governo chinês as informações sobre todo mundo que mora no Brasil. Inclusive e especialmente alguns refugiados chineses que estejam aí. A partir da hora em que esse negócio for instalado, esses refugiados chineses podem se considerar mortos”, disse Olavo. Olavo cita no vídeo a empresa Huawei, que tem câmeras que realizam reconhecimento facial, mas não é a única – a Dahua Technology, por exemplo, é fornecedora do governo chinês.

Leia também: O que está por trás da prisão de executiva da Huawei no Canadá

“O problema do Brasil é a ignorância, o analfabetismo funcional, a presunção dos semianalfabetos”, esbravejou o pensador, que fez questão de ler os nomes dos parlamentares eleitos um a um. “Bando de caipira. Inclusive você, Carla Zambelli (PSL-SP). Já te ajudei muito, se você não sair desse negócio, eu não te ajudo mais.”

“Você acha que uma leizinha brasileira vai controlar o sistema de informação chinês? Vocês são idiotas, meu Deus do céu? Vocês têm ideia da extensão da tecnologia chinesa de controle comportamental? Vocês não estudaram nada disso e nem querem estudar. Estão achando lindo que foram convidados para ir para a China. É um bando de caipiras”, afirmou.

Carla Zambelli, que tem origem no movimento Vem Pra Rua e se elegeu deputada por São Paulo no ano passado, respondeu em um vídeo publicado nas redes sociais. “Eu sou muito mais brasileira que muita gente aí. Aliás, eu moro no Brasil”, disse a deputada (Olavo mora nos Estados Unidos desde 2005). “Não viemos em nome do Executivo. Parlamentares não têm prerrogativa de fechar contrato algum, viemos conhecer e ver o que há de bom, além de fomentar as exportações do Brasil”, disse a deputada eleita

Filósofo também critica a imprensa brasileira e a CNN americana

Olavo afirmou ainda que, caso ele fosse guru de Bolsonaro, a vinda da CNN norte-americana para o Brasil também não aconteceria. “Está na cara que a mídia brasileira inteira é inimiga do governo”, disse. “Não basta isso, precisa vir a CNN para contratar mais 400 jornalistas e o governo permite isso aí. E eu sou o guru dessa porcaria. Eu não sou o guru de m... nenhuma. Se eu fosse, as pessoas não teriam sequer a coragem de apresentar essas ideias. Mas não apenas apresentaram como estão realizando”, continuou.

Na segunda-feira (14), a rede de notícias americana CNN anunciou que fechou acordo com um grupo de mídia brasileiro para licenciar sua marca no Brasil. A CNN Brasil será programada e operada por uma nova empresa liderada pelo jornalista Douglas Tavolaro, que deixa a vice-presidência de jornalismo do Grupo Record, e pelo empresário Rubens Menin, fundador da MRV Engenharia, maior construtora do país.

À reportagem, a CNN internacional disse que as licenciadas que operam canais e plataformas da marca são editorialmente independentes.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE