Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O veto da Anvisa à vacina russa Sputnik V pegou muita gente de surpresa, até porque ela era a esperança de muitos estados e municípios para acelerar a imunização contra a Covid-19.

Mas por que o órgão decidiu por vetar a importação da vacina? Entenda em um minuto.

Anvisa vetou a vacina russa Sputnik V, saiba os motivos

Segundo a Anvisa, o principal motivo para a negativa foi a falta de dados consistentes e confiáveis apresentados até o momento.

Entre esses pontos estão os possíveis riscos à saúde que a vacina Sputnik v pode trazer. Uma das divisões da Anvisa identificou que as células onde os adenovírus são produzidos para o desenvolvimento do imunizante permitem sua replicação, o que é considerado grave.

Na prática, isso poderia resultar em sérias reações em seres humanos, como infecções graves e até mesmo a morte, especialmente em pessoas com baixa imunidade e outros problemas respiratórios.

Também foram identificadas falhas no desenvolvimento e na produção das vacinas. Todas as etapas dos estudos clínicos tinham problemas, inclusive na análise de impurezas, e não tinha a validação e qualificação de métodos de controle de qualidade.

A falta de transparência também ligou o alerta da Anvisa, principalmente sobre os efeitos adversos de curto, médio e longo prazo. Além disso, vários documentos essenciais não foram entregues, o que impediu verificar se se a autorização para uso internacional alcançou os requisitos mínimos de qualidade, segurança e eficácia.

Tanto que a própria inspeção que técnicos da agência tentaram fazer no instituto que desenvolveu a vacina foi barrada. Ademais, a visita às empresas que produzem a Sputnik v detectou uma série de problemas, como a dificuldade de identificar a origem dos insumos usados no imunizante.  

Depois da decisão da Anvisa, a fabricante da vacina russa disse que a não aprovação aconteceu por uma questão política e não científica. O órgão brasileiro rebateu dizendo que jamais vai permitir que milhões de brasileiros sejam expostos a produtos sem comprovação de qualidade, eficácia ou segurança.

Conteúdo editado por:Jenifer Ribeiro dos Santos
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]