A Argentina deu uma guinada à esquerda - e isso não agrada o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Com a vitória do peronista Alberto Fernández na eleição argentina, as relações entre os dois gigantes da América do Sul ficaram estremecidas.

As divergências ideológicas entre Fernández e Bolsonaro são evidentes. O futuro presidente argentino pediu “Lula Livre” no discurso da vitória eleitoral; Bolsonaro rebateu dizendo que isso era uma afronta à democracia brasileira.

Bolsonaro já deu uma série de declarações controversas sobre a disputa no país vizinho: falou, por exemplo, que a vitória de Fernandez poderia levar a uma migração em massa de argentinos ao Brasil. E insinuou que a implantação de políticas protecionistas na economia argentina poderia levar a uma expulsão do país do Mercosul.

Publicidade

Já Fernandez chegou a dizer que comemorava o fato de ser criticado por Bolsonaro que, nas palavras dele, é "um racista, misógino e violento” .

A Argentina vive uma crise econômica, com inflação e dólar altos, aumento do desemprego e da pobreza. Após a eleição, o banco central do país anunciou um limite para a compra de dólares, de US$ 200 por mês, como forma de tentar segurar a cotação da moeda.

Saiba mais sobre Alberto Fernández >> http://bit.ly/36dRwg4

-------------------------

Ficha técnica

  • Apresentação: Giulia Fontes
  • Edição e imagens: Lucas Lencin
  • Roteiro: Rodrigo Fernandes
Publicidade

-------------------------

Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais: