• 10/06/2020 08:32
Armas

Governo tenta salvar portaria sobre munições, que teve parecer assinado por militar da reserva

  • 10/06/2020 08:32
  • PorEstadão Conteúdo
    Portaria aumentou quantidade de munição permitida para civis.
    Portaria aumentou quantidade de munição permitida para civis.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

    O Palácio do Planalto apresentou na segunda-feira (8) uma contestação à Justiça Federal para tentar salvar a portaria que ampliou em três vezes o acesso de civis a munições. No recurso, a Advocacia-Geral da União (AGU) diz que a norma não dependia, necessariamente, de qualquer tipo de parecer de setores técnicos para entrar em vigor. O parecer que subsidiou a portaria foi assinado por um general que estava exonerado das Forças Armadas e mandado para a reserva remunerada. Com o texto, o número de balas que um cidadão pode comprar por ano passou de 200 para 600, por registro de arma de fogo. No país, 379.471 armas estão nas mãos da população, segundo dados da Polícia Federal. O novo decreto possibilita a compra de 227.682.600 balas (600 por arma).

    Tudo sobre:

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.