Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Datafolha: Alckmin, Haddad e França lideram disputa pelo governo de SP em 2022
Geraldo Alckmin lidera a corrida eleitoral para o governo de São Paulo. O ex-tucano também é cogitado para ser vice de Lula em 2022| Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Datafolha na tarde deste sábado (18) aponta que o ex-governador Geraldo Alckmin, que deixou o PSDB nesta semana, lidera a corrida eleitoral para o governo do estado de São Paulo em 2022. O ex-tucano possui 28% das intenções de voto, seguido de Fernando Haddad (PT), com 19%, e Márcio França (PSB), com 13%.

O instituto de pesquisa projetou outros cenários, sem Alckmin e Haddad, que podem deixar a corrida pelo Palácio dos Bandeirantes. Enquanto o ex-governador tem convite para ser candidato a vice-presidente da República na chapa encabeçada por Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o petista deve tentar um cargo no Senado Federal.

Na projeção sem Alckmin, Haddad lidera com 28% e França surge em segundo com 19%. Em um terceiro cenário sem o petista, França lidera com 28%, seguido de Guilherme Boulos (PSOL), com 18%.

O atual governador João Doria (PSDB) é pré-candidato à presidência da República pelo PSDB e não irá concorrer à reeleição para o Executivo estadual.

Veja abaixo os números referentes aos três cenários projetados pelo Datafolha:

Cenário A – Com Alckmin, Haddad e França

  • Geraldo Alckmin (PSDB): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 19%
  • Márcio França (PSB): 13%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 10%
  • Tarcísio de Freitas (sem partido): 5%
  • Arthur do Val (Patriota): 2%
  • Abraham Weintraub (sem partido): 1%
  • Vinicius Poit (Novo): 1%
  • Brancos/nulos/nenhum: 16%
  • Não opinaram: 4%

Cenário B – Sem Alckmin

Neste cenário, considera-se que o ex-tucano deixou a corrida para o governo paulista para integrar uma chapa para a disputa nacional.

  • Fernando Haddad (PT): 28%
  • Márcio França (PSB): 19%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 11%
  • Tarcísio de Freitas (sem partido): 7%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 6%
  • Arthur do Val (Patriota): 3%
  • Abraham Weintraub (sem partido): 1%
  • Vinicius Poit (Novo): 1%
  • Brancos/nulos/nenhum: 21%
  • Não opinaram: 4%

Cenário C – Sem Alckmin e Haddad

Nesta hipótese, considera-se que Haddad também abandone a corrida eleitoral do estado paulista, possivelmente para tentar um cargo no Senado.

  • Márcio França (PSB): 28%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 18%
  • Tarcísio de Freitas (sem partido): 9%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 8%
  • Arthur do Val (Patriota): 4%
  • Abraham Weintraub (sem partido): 2%
  • Vinicius Poit (Novo): 1%
  • Brancos/nulos/nenhum: 25%
  • Não opinaram: 5%

Metodologia

Para a pesquisa, foram ouvidos 2.034 eleitores de 13 a 16 de dezembro, em 70 municípios do estado. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Por que a Gazeta publica pesquisas eleitorais?

A Gazeta do Povo publica há anos todas as pesquisas de intenção de voto realizadas pelos principais institutos de opinião pública do país. Você pode conferir os levantamentos mais recentes neste link, além de reportagens sobre o tema.

As pesquisas de intenção de voto fazem uma leitura de momento, com base em amostras representativas da população. Métodos de entrevistas, a composição e o número da amostra e até mesmo a forma como uma pergunta é feita são fatores que podem influenciar o resultado. Por isso é importante ficar atento às informações de metodologias, encontradas no fim das matérias da Gazeta do Povo sobre pesquisas eleitorais. Saiba mais aqui.

Feitas essas considerações, a Gazeta considera que as pesquisas eleitorais, longe de serem uma previsão do resultado das eleições, são uma ferramenta de informação à disposição do leitor, já que os resultados divulgados têm potencial de influenciar decisões de partidos, de lideranças políticas e até mesmo os humores do mercado financeiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]