Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Nelma Kodama foi alvo da primeira fase da operação Lava Jato, em 2014
Nelma Kodama foi alvo da primeira fase da operação Lava Jato, em 2014| Foto: Reprodução

A doleira Nelma Kodama, primeira presa na Operação Lava Jato, em 2014, foi beneficiada com o indulto de Natal do ex-presidente Michel Temer (MDB) e pôde tirar, nesta terça-feira (6), a tornozeleira eletrônica que usava desde junho de 2016. Conhecida por ser uma das personagens mais excêntricas da operação, Nelma fez uma transmissão ao vivo (veja abaixo) em sua página no Instagram enquanto tentava tirar o dispositivo.

A autorização para retirada da tornozeleira eletrônica foi concedida pelo juiz federal Danilo Pereira Junior, da 12.ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela execução da pena. O magistrado determinou a desativação do dispositivo e autorizou a própria doleira a removê-lo, "responsabilizando-se, no entanto, pelo encaminhamento/entrega a este Juízo Federal, pessoalmente ou por SEDEX, no prazo de 5 (cinco) dias". Ela também vai ter que pagar R$ 8,9 mil à Justiça – são os custos da tornozeleira.

Nelma foi presa no dia 15 de março de 2014 – dois dias antes da deflagração da primeira fase da Lava Jato – no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Ela tentava embarcar para Milão, na Itália, com 200 mil euros escondidos na calcinha.

Ela foi condenada pelo então juiz Sergio Moro a 18 anos de prisão. A doleira firmou um acordo de colaboração premiada e deixou a prisão em junho de 2016, com a tornozeleira eletrônica.

Nelma é a campeã de apelidos entre envolvidos na Lava Jato. Em operações financeiras e troca de mensagens, ela sempre utilizava codinomes de atrizes famosas, como Greta Garbo, Cameron Diaz ou Angelina Jolie.

Ainda em 2014, enquanto estava presa na carceragem da Polícia Federal (PF), Nelma ganhou a simpatia de policiais depois de salvar a vida de um carcereiro que teve um ataque cardíaco. A doleira fez uma massagem torácica e respiração boca a boca no servidor.

Nelma teve o ápice da atenção midiática quando depôs à CPI da Petrobras, em 2015. Questionada sobre seu relacionamento com o doleiro Alberto Youssef, a doleira revelou que foi amante dele entre 2000 e 2009. O momento da revelação foi marcado por descontração: Nelma começou a cantar um trecho da música “Amada Amante”, de Roberto Carlos. Outra situação engraçada ocorreu quando a doleira negou ter sido presa com 200 mil euros na calcinha. “Na verdade, foi nos bolsos de trás da calça”, disse, levantando e mostrando os bolsos, provocando risos.

Depois que deixou a prisão, as polêmicas não cessaram. Um mês após ganhar a liberdade, Nelma posou em um ensaio sensual para a revista Veja usando a tornozeleira eletrônica.

A doleira Nelma Kodama e sua tornozeleira eletrônica

Nesta terça-feira (6), a doleira Nelma Kodama tentou tirar a tornozeleira eletrônica com uma alicate, e publicou no Instagram:

Ainda na segunda-feira (5), aparentemente na expectativa, Nelma Kodama mostra um pequeno vídeo de sua tornozeleira eletrônica:

Há quase duas semanas, Nelma postou em seu Instagram uma foto mostrando sua tornozeleira e um sapato de salto vermelho Chanel, além de um vestido vermelho Valentino.

Ver essa foto no Instagram

#picture #chanel #valentino

Uma publicação compartilhada por Nelma Kodama (@nelma_kodama) em

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]