Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Quase três anos depois do pesadelo que foi a greve dos caminhoneiros em 2018, a categoria se mobiliza para uma nova paralisação nas próximas semanas.

Lideranças de caminhoneiros autônomos planejam parar no dia primeiro de fevereiro. Seria esse o indício de uma nova greve aos moldes do que vimos antes?

Entenda as reivindicações e as chances de termos uma paralisação geral.

Nova greve dos caminhoneiros? Saiba quais as reivindicações

O principal ponto é que, apesar do descontentamento da categoria, ainda é cedo para dizer que vamos ter uma greve semelhante à de 2018.

Ainda não há um consenso entre os caminhoneiros sobre parar. Um dos fatores para essa divisão é justamente a pandemia e a entrega das vacinas.

Por outro lado, as lideranças destacam que a insatisfação é generalizada. Tanto que elaboraram uma lista de reivindicações para tentar negociar com o governo. Segundo os caminhoneiros, o cenário atual é muito semelhante - ou até pior - ao de 2018.

Entre esses pedidos estão a implementação de um piso mínimo para o frete, mudanças na política de preço de paridade de importação, que afeta o valor de combustíveis, além do direito de aposentadoria especial para caminhoneiros.

As lideranças dos caminhoneiros dizem que não houve nenhuma reunião com o governo federal sobre a paralisação do dia primeiro, mas afirmam que estão abertos para o diálogo.

Conteúdo editado por:Jenifer Ribeiro dos Santos
3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]