Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro| Foto: TV Brasil

Em pronunciamento feito nesta sexta-feira, 31, em cadeia de rádio e televisão para o Brasil inteiro, o presidente Jair Bolsonaro reforçou sua oposição ao passaporte vacinal, disse que houve vacina para todos os adultos que quiseram se vacinar, que o País deu exemplo ao mundo na questão da vacinação, e que as crianças entre cinco e 11 anos só devem ser vacinadas com o consentimento dos pais e prescrição médica. "Não apoiamos o passaporte vacinal, nem qualquer restrição àqueles que não desejam se vacinar”, afirmou. “A liberdade tem que ser respeitada”,

O presidente também criticou o fechamento do comércio em nível municipal e estadual, por prefeitos e governadores, e atribuiu os problemas na economia, inclusive a inflação, aos lockdowns e à política "fique em casa, a economia a gente vê depois" e acrescentou: "A quebradeira econômica só não se tornou uma realidade porque nós criamos o Pronampe )Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) e o BEm (Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda)."

Bolsonaro afirmou que o País retomou a confiança dos investidores, o que deve ajudar a diminuir a inflação no próximo ano. Além disso, citou o investimento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no Brasil, e não em obras em ditaduras, como Venezuela e Cuba. "Levamos tranquilidade ao campo, flexibilizamos a posse e o porte de arma de fogo para o cidadão e passamos a investir no Brasil e não mais no exterior com obras milionárias financiadas pelo BNDES."

Sobre as chuvas na Bahia, Jair Bolsonaro disse que desde o primeiro momento pediu ao titular do Ministério da Cidadania, João Roma, que prestasse total apoio — o presidente assinou nesta sexta-feira (31) um medida provisória liberando mais R$ 700 milhões para ajudar a população atingida pelas chuvas, um acréscimo aos 200 milhões liberados para a reconstrução de estradas, a cargo do Ministério da Infraestrutura.

Bolsonaro aproveitou para listar algumas realizações de seu governo, como o Auxílio Brasil, que substituiu o Bolsa Família, a criação de novos empregos — três milhões — e de empresas — 5 milhões — em 2021. E terminou o pronunciamento declarando que seu governo acredita em Deus e respeita os militares.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]