Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG) logo após protocolar emenda para garantir regras especiais para vigilantes.
Deputado Marcelo Freitas, do PSL-MG, (com o requerimento em mãos) protocolou emenda para garantir regras especiais para vigilantes.| Foto: Bruno Peres/Lid. PSL

Pelo menos 37 das 277 sugestões de emendas ao texto da reforma da Previdência (PEC 6/2019) feitas pelos deputados tentam garantir regras especiais de aposentadoria para categorias específicas. O levantamento é da Gazeta do Povo e exclui profissões como professores e policiais, por exemplo, porque emendas para essas categorias de certa forma já eram esperadas. Outras mais inusitadas foram agraciadas, como vigilantes, enfermeiros, motoristas e cobradores de ônibus, garimpeiros, peritos criminais e até espiões do governo.

O deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), por exemplo, propôs que vigilantes do setor privado tenham direito à aposentadoria diferenciada. Freitas foi o relator da PEC na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Leia mais: Nova Previdência só para ‘velhos’ e ‘quebrados’ vira solução para reforma nos estados

“Esta emenda visa trazer justiça à categoria profissional dos vigilantes, verdadeiros heróis que ombreiam com os profissionais de segurança pública estatal na luta insana contra a criminalidade que cresce desenfreada em nosso país”, diz o deputado na justificativa.

Wellington Roberto (PL-PB) teve a mesma ideia de Freitas. Na argumentação diz que "há uma simples e cruel exclusão" dos vigilantes pela reforma.

Confira categorias que poderão ter regras especiais

De peritos a agentes de inteligência

Três projetos pedem a inclusão nas regras especiais de profissionais da perícia criminal. As propostas são dos deputados Darci de Matos (PSD-SC), Gutemberg Reis (MDB-RJ) e Santini (PTB-RS).

Outros três projetos pretendem garantir aos agentes e oficiais da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) benefícios diferenciados. A justificativa da emenda apresentada por Alan Rick (DEM-AC) ressalta que “os riscos a que eles [servidores da Abin] se expõem é regra e inerente a sua atividade laboral”.

Agentes penitenciários, socioeducativos e de trânsito, inspetores de segurança do Poder Judiciário e do Ministério Público, oficiais de justiça, comissários da infância e da juventude, assistentes sociais e psicólogos judiciais são algumas das profissões que podem ser contempladas com uma aposentadoria diferenciada.

Profissionais da saúde

Uma das emendas estabelece regras especiais para aposentadoria e transição de profissionais da área de enfermagem. A proposta foi protocolada pelo deputado Fred Costa (PATRI-MG). “A exposição a agentes de risco é inegável. Esses profissionais trabalham em contato permanente com pacientes ou com material infecto-contagiante”, diz a justificativa sobre as condições de trabalho da área.

Ainda na área da saúde, Fred Costa (PATRI - MG) e Jorge Solla (PT-SP) protocolaram emendas que garantem regras diferenciadas de aposentadoria a agentes comunitários de saúde e agentes de combates às endemias. Já Ricardo Izar (PP-SP) pretende acrescentar portadores das doenças de Parkinson e Alzheimer nas regras para aposentadoria por invalidez.

Garimpeiros e seringueiros

Quatro propostas querem incluir os garimpeiros nas regras válidas para trabalhadores rurais. Daniel Almeida (PCdoB-BA) propõe que seringueiros devem receber, quando carentes, pensão mensal vitalícia e gratificação natalina no valor de dois salários mínimos.

Motoristas e cobradores

O deputado Valdevan Noventa (PSC-SE), presidente licenciado do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas/SP), quer implementar uma aposentadoria por condição especial de trabalho para motoristas rodoviários de passageiros e cargas, cobradores e agentes de bordo.

Leonardo Monteiro (PT-MG) apresentou proposta que cria regra especial para motoristas de veículos de grande porte que transitam em rodovias, estradas e vias urbanas, cobradores e agentes de bordo.

Outros pedidos inusitados

Referendo

Para os deputados Ivan Valente (PSOL-SP), Daniel Almeida (PCdoB-BA) e Paulo Pimenta (PT-RS) a reforma – se aprovada – só deve entrar em vigor após um referendo.

Eles querem que a população, como maior afetada, seja a responsável por decidir se a reforma deve ou não valer.

Sem regra especial para políticos

Jerônimo Goergen (PP-RS) propõe que sejam aplicadas as regras do Regime Geral de Previdência Social a todos os congressistas, deputados estaduais e vereadores, com exceção, de servidores públicos regidos por normas de Regime Próprio de Previdência Social.

Interferência de outros poderes

Leia mais: Os jabutis e as pegadinhas da reforma da Previdência de Bolsonaro

João Campos (PRB-GO) aproveitou a apresentação de emendas para tentar acrescentar ao texto da Constituição a possibilidade de o Congresso Nacional sustar atos normativos de outros poderes que exorbitem os limites de delegação legislação.

Seguridade das crianças

O deputado Felipe Rigoni (PSB - ES) pretende criar a “Seguridade Social da Criança” que deverá garantir benefício mensal, em caso de comprovação de pobreza. E um auxílio complementar para crianças de até 5 anos voltado para nutrição. A proposta de emenda protocolada por ele deve acrescentar a determinação ao texto da Constituição.

20 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]