i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vídeo

Entenda em 1 minuto: impacto do coronavírus no calendário escolar

  • PorGazeta do Povo
  • 30/08/2020 21:36

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que flexibiliza o ano letivo de 2020 por causa da pandemia do coronavírus.

Entenda o que muda com a flexibilização das aulas de 2020:

>> Especial: Quem terá a primeira vacina confiável contra a Covid-19?

A lei publicada pelo governo federal desobriga que escolas de educação básica e universidades cumpram os 200 dias mínimos de ano letivo. Apesar desta flexibilização, a carga horária mínima anual prevista em lei continua a ser exigida.

A diferença, portanto, é que ela poderá ser cumprida em 2021, mesmo se o aluno tiver cursando o ano escolar seguinte. Então, será possível adotar duas séries ou anos escolares para que se cumpram as horas de 2020.

Ainda para que este preenchimento seja realizado, a lei sancionada por Bolsonaro autoriza que atividades pedagógicas continuem a ser a distância, desde que as instituições garantam que os alunos tenham acesso ao conteúdo.

No ensino superior, a antecipação da formatura de cursos da área de saúde também foi autorizada. No entanto, é preciso o cumprimento de pelo menos 75% da carga horária da residência para medicina e de 75% de estágios curriculares obrigatórios para os cursos de farmácia, enfermagem, fisioterapia e odontologia.

Apesar da mudanças, Bolsonaro vetou seis medidas da lei. Os dois principais que foram barrados são referentes à possibilidade de alterar a data do Enem e sobre o auxílio técnico e financeiro que o governo Federal seria obrigado a dar aos munícipios e Estados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.