i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vídeo

Entenda em 1 minuto: quem é Sara Winter, ativista pró-Bolsonaro?

  • PorGazeta do Povo
  • 16/06/2020 17:10
Sara Winter se tornou um dos principais nomes pró-Bolsonaro nas redes sociais.
Sara Winter se tornou um dos principais nomes pró-Bolsonaro nas redes sociais.| Foto:

A ativista Sara Winter, uma das líderes do grupo 300 do Brasil, foi presa pela Polícia Federal, em Brasília (dia 15/6), depois de uma série de ataques ao STF. Mas quem é ela?

Quem é Sara Winter? entenda em 1 minuto:

Sara Fernanda Giromini, mais conhecida pelo nome de Sara Winter, se tornou um dos principais nomes pró-Bolsonaro nas redes sociais.

Além de encabeçar o movimento os 300 do Brasil e o acampamento organizado em Brasília, seu nome também apareceu no inquérito das fake news, que investiga ataques contra o STF. Foi alvo de mandados de busca e apreensão por causa disso e chegou a gravar um vídeo ameaçando o ministro Alexandre de Moraes.

Apesar de ter se tornado uma das lideranças da extrema-direita no Brasil, o ativismo de sara começou ligado a movimentos feministas.

Ela foi a fundadora da versão brasileira do Femen, um grupo feminista radical ucraniano. Em 2013, ela se tornou famosa por causa dos protestos contra a realização da Copa do Mundo no Brasil. Em um desses atos, chegou a castrar um boneco do então deputado Jair Bolsonaro.

Em 2014, disse ter sido traída pelo feminismo e passou a se aproximar de pautas mais conservadoras e, desde então, passou a se radicalizar.

Ela foi presa no inquérito que investiga o financiamento de protestos antidemocráticos.

Conteúdo editado por:Rodrigo Fernandes
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • R

    Raimundo Alves

    ± 0 minutos

    Bolsonaro como seus milhões de apoiadores, têm a dimension histórica da sua importância para a reforma do Estado, da economia e dos costumes politicos, sem falar na guerra cultural. Ninguém quer mais mais do que ele e os que o apoiam a vitória nessa guerra, inclusive com novos grupos de oficiais das Forças Armadas declarando apoio a causa em Carta à Nação Brasileira.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso