Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

# Vacina da Índia é a aposta da rede particular no Brasil; resultados de eficácia ainda não foram publicados

***) Nos últimos dias, as vacinas produzidas na Índia entraram em pauta no Brasil. Por motivos diferentes: o noticiário envolvendo a Covaxin, vacina indiana que é aposta da rede privada no Brasil, e a suposta proibição da exportação de outro imunizante produzido no segundo país mais populoso do mundo.

Segundo a OMS, os estudos clínicos da Covaxin ainda estão na fase 3 — quando o imunizante é aplicado em milhares de voluntários e a eficácia, além da segurança, é constatada —, iniciada em novembro. Os estudos clínicos de fase 3 englobam 23 mil voluntários, com a expectativa de ampliar a 26 mil, em 22 centros de pesquisa na Índia.

Vacina da Índia é aposta da rede privada no Brasil

O Ministério da Saúde brasileiro alertou que as clínicas particulares, ainda que ofereçam uma vacina à parte, deverão seguir o plano de imunização da pasta, dando prioridade aos grupos de risco, como idosos e profissionais da saúde.

Sobre a Covaxin: ainda não foram divulgados os resultados de eficácia, embora a vacina tenha recebido a aprovação emergencial do governo indiano.

Esse episódio do podcast 15 Minutos é dedicado a entender esses dois assuntos que envolvem os imunizantes produzidos na Índia. Pra isso, a convidada é a Amanda Milléo, repórter do Sempre Família, da Gazeta do Povo, especialista em Saúde.

***
O podcast 15 minutos é um espaço para discussão de assuntos importantes, sempre com análise e a participação da equipe de jornalistas da Gazeta do Povo. De segunda a sexta, de forma leve e dinâmica, com a duração que cabe na correria do seu dia. Apresentação é do jornalista Márcio Miranda. O programa é publicado no Spotify, Google Podcast, Deezer e no iTunes.

***
Ficha técnica: ‘15 minutos’, podcast de notícias da Gazeta do Povo #Apresentação e roteiro: Márcio Miranda; direção de conteúdo: Rodrigo Fernandes; equipe de produção: Maria Eduarda Scroccaro, Jenifer Ribeiro e Durval Ramos; montagem: Leonardo Bechtloff; identidade visual: Gabriela Salazar; estratégia de distribuição: Gladson Angeli e Marcus Ayres.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]