i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rodrigo Constantino

Foto de perfil de Rodrigo Constantino
Ver perfil

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Flavio Bolsonaro conquista vitória contra Alerj e barra aumento de ICMS

  • PorRodrigo Constantino
  • 15/12/2016 23:53
Fonte: Extra
Fonte: Extra| Foto:

O desembargador Otávio Rodrigues, membro do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), julgou procedente o pedido feito pelo deputado Flávio Bolsonaro (PSC), via mandado de segurança, e concedeu liminar que suspendeu a validade da votação ocorrida na Assembleia Legislativa do Rio, na última terça-feira, que elevou o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) de quatro produtos: energia elétrica, fumo, cerveja e chopp, e telecomunicações. Na conclusão, o magistrado considerou que houve fato grave no processo legal durante a tramitação da aprovação do projeto de lei.

— Todo o projeto foi sustado. Vejo isso como uma vitória para a economia do Rio de Janeiro. A elevação de tributos vai agravar a recessão que o Estado se encontra. Além do mais, a democracia foi respeitada com esta decisão, pois a maioria do plenário rejeitou a elevação — disse Bolsonaro.

A votação que elevou o ICMS dos produtos foi polêmica. Foi feita uma “votação simbólica” dos destaques do projeto. Nesta votação, a maioria votou pela rejeição das elevações. Mesmo assim, o presidente da Alerj, Jorge Picciani, aprovou a lei.

Segundo o deputado, a decisão impede que o governador Luiz Fernando Pezão sancione o projeto. Para piorar, ainda de acordo com Bolsonaro, o governo terá que questionar a liminar até o dia 20 de dezembro, último dia útil antes do recesso do judiciário estadual.

— As leis que alteram tributos precisam de um período de noventena antes do início de cada ano para ter validade. Se o projeto não for sancionado em 2016, não terá validade para 2017 — concluiu Bolsonaro.

Em sua página do Facebook, o deputado comemorou:

Acabei de ganhar liminar no TJ /RJ, suspendendo a validade da votação ocorrida na Alerj, na última terça-feira, que aumentou o ICMS de produtos como energia elétrica, gasolina, serviço de comunicação, cerveja e chopp.
Vitória da economia e da democracia, uma vez que a maioria dos deputados votou contra o projeto, ao contrário do resultado proclamado em plenário. Parabéns à Dra. Lygia Martan pela ação.

Bernardo Santoro, ex-presidente do Instituto Liberal e que participou da campanha do deputado a prefeito, elaborando seu plano econômica com viés liberal, também celebrou a notícia:

Meu querido amigo Flávio Bolsonaro conseguiu sustar hoje à noite a votação que aumentou o ICMS de vários produtos e serviços no Rio. Anteontem comentei aqui que essa matéria foi aprovada com a maioria votando contra e o Presidente Picciani declarando aprovada à revelia do plenário. O órgão especial do TJ RJ, através da ação do meu deputado, restabelece justiça para a população fluminense, que não merece mais impostos.

Comentei hoje cedo o absurdo do aumento de impostos no Rio, e como esses políticos estão brincando com fogo, alimentando um monstro que poderá devorar a democracia depois. Só posso, então, aplaudir de pé a iniciativa de Flavio Bolsonaro, que se coloca entre os poderosos e o povo para tomar o partido deste, contra os abusos daqueles. Não vamos tolerar mais impostos! Isso precisa ficar bem claro para a classe política, que terá de fazer o ajuste necessário por meio do corte de gastos públicos, não do aumento das receitas, já em patamar absurdo e sem retorno algum.

Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.