O esquerdismo mofou com Fidel e será limpo pela Lava-Jato
| Foto:

Poucas vezes uma imagem teve tanto simbolismo como esta em que o ex-presidente Lula aparece escrevendo “Viva Fidel” numa parece mofada e usando como instrumento um Lava-Jato. Lula tentou provocar o juiz Sergio Moro e, assim, as nossas leis e a imensa maioria da população brasileira, que apoia o trabalho sério da equipe da Lava-Jato. E fez isso para enaltecer um ditador assassino, um cruel tirano que matou e mandou matar milhares de pessoas inocentes.

Onde está a coerência em dizer que lutou contra nossa ditadura enquanto defende outras ditaduras?, perguntou o MBL. Mas coerência nunca foi a marca registrada da esquerda, não é mesmo? Se fosse, os esquerdistas não se diriam democratas enquanto elogiam ditadores por aí. E é piada ver os veículos de comunicação fazendo enorme malabarismo para evitar o uso do termo, substituído por “líder”, “comandante”, “presidente” ou “revolucionário”.

Ora, qual outro termo pode ser usado para descrever alguém que ficou mais de meio século no poder, sem realizar eleições minimamente transparentes, sem partido de oposição, sem imprensa livre e perseguindo todos os opositores? Se Fidel não foi um ditador, então ninguém mais foi, nem Hitler, nem Mussolini, nem Salazar, nem Franco, nem Stalin, nem Pol-Pot, nem Mao, nem Pinochet.

E por falar nesse… se o critério da esquerda é elogiar Fidel por conta dos “avanços sociais”, que claramente não ocorreram e não passam de uma mentira repetida mil vezes, então teriam que idolatrar o ditador chileno. Afinal, o Chile é o país mais avançado da região em boa parte por conta das reformas econômicas liberais da era Pinochet, lideradas por economistas de Chicago. As privatizações levaram o Chile à prosperidade relativa, e deixam a miséria cubana no chinelo.

“Mas tudo é culpa do maldito embargo americano”, bradam os animais. Mesmo? Em primeiro lugar, é interessante descobrir que os socialistas agora defendem a globalização capitalista, e querem que os “estadunidenses” possam “explorar” livremente os pobres mundo afora. Pois é assim que definem a globalização, o comércio com os americanos: uma exploração da pobreza pelos ianques egoístas. Ao condenarem o embargo, estão defendendo justamente a globalização capitalista, e nem se dão conta disso (são burros mesmo, ou canalhas).

No mais, basta ver a miséria total na Venezuela de hoje, que seguiu os mesmos passos cubanos, para verificar que o embargo não tem nada com isso. Os americanos nunca estiveram impedidos de praticar comércio com a Venezuela, e fizeram o contrário disso: compraram bilhões e bilhões em petróleo todo ano. Não adiantou. O socialismo é mesmo uma máquina de produzir miséria e escravidão em larga escala.

Essa esquerda bajuladora de tiranos socialistas está mofada, tanto quanto a parece usada por Lula. E não falo apenas da extrema-esquerda, representada por partidos como o PT, o PSOL, o PCdoB e a Rede. Falo também do PSDB, dos tucanos da velha guarda incapazes de condenar abertamente um crápula ditador como Fidel Castro. Tanto FHC como José Serra e Aécio Neves fizeram comentários ridículos sobre o “líder revolucionário” de Cuba, com concessões e elogios inaceitáveis.

Toda essa esquerda jurássica e ultrapassada está podre, e será limpa pela Lava-Jato de Sergio Moro, dos brasileiros. E com ela será exterminada também a velha imprensa, carcomida, tomada por esquerdistas, parcial ao extremo. O público não quer mais saber de tanta mentira, inversão e manipulação, dessa covardia de quem se recusa a chamar ditador de ditador, de quem adota sempre um duplo padrão para aliviar a barra da esquerda. Essa fase acabou. Será coisa do passado, de um passado sombrio, como aquele deixado por Fidel Castro.

A quem quiser conhecer melhor esse ditador frio e assassino que a imprensa esquerdista idolatra, recomendo essas leituras:







Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]