Blog / 

Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

Ué, mas Lula não queria um julgamento rápido?

O julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a condenação dele no processo do tríplex do Guarujá já está marcado. A apelação de Lula será julgada pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4), a segunda instância da Lava Jato, no dia 24 de janeiro.

O desembargador do TRF4 Leandro Paulsen, que revisa o voto de João Gebran Neto, o relator do processo na segunda instância, pediu a marcação da data. A audiência na 8.ª Turma do TRF4, responsável pelo caso de Lula, foi agendada para as 8h30 do dia 24 de janeiro. Além de Gebran Neto e Paulsen, a turma conta com um terceiro membro, Victor Luis dos Santos Laus.

A grita pela “celeridade” do processo de Lula foi grande na esquerda. Lideranças do PT acusam o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de perpetrar um golpe contra a candidatura do ex-presidente Lula ao marcar para 24 de janeiro, em pleno recesso do Legislativo e Judiciário, o julgamento da apelação contra a condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Os petistas acusam o TRF-4 de “perseguição”, acham que haverá pressão popular e “só morto” Lula não será candidato. Ricardo Noblat deu destaque ao que o comunista invasor, e linha-auxiliar do próprio PT e de Lula, Guilherme Boulos, “pensa” sobre a decisão:

“Escandaloso” não é invadir propriedades, pregar o comunismo em pleno século XXI, estar não só solto como poder ser candidato a presidente apesar de seus crimes. Escandaloso é a Justiça julgar! Noblat depois rodou uma pesquisa com seus seguidores para averiguar o que acharam da decisão. A imensa maioria discorda de Boulos:

Mas espere um momento: não era o próprio Lula que cobrava um rápido julgamento para se mostrar inocente logo?! Ana Paula Henkel, do vôlei, refrescou a memória desses petistas, que sofrem de amnésia coletiva, pelo visto:

Quem também gostou da maior rapidez do julgamento foi o tal “mercado”, ou seja, os investidores, aqueles que tomam decisões com a poupança alheia. Claro, sabem que se Lula tiver a mínima chance de voltar ao poder, isso representa um risco mortal para o Brasil e, portanto, para o valor dos ativos brasileiros, lastro da poupança de milhões de pessoas. Por isso a bolsa deu um gás quando saiu a notícia, e o dólar recuou. Paulo Eduardo Martins ironizou: “É preciso reconhecer. Às vezes o Lula faz bem ao Brasil”. E completou:

Quando Lula diz que não quer ser julgado pela Justiça, mas pelo “povo”, ele demonstra todo seu populismo cafajeste, sua mentalidade de tirano que despreza o império das leis. Quando um FHC da vida endossa isso, dizendo que Lula deve ser derrotado nas urnas, também contribui para o enfraquecimento de nossas instituições.

TODOS – e isso inclui políticos poderosos e até ex-presidentes – devem estar sob o império das leis numa República. O que faz políticos de outros partidos saírem em defesa de Lula ou ficarem preocupados com as mudanças no país – finalmente políticos poderosos estão sendo julgados e condenados – é o velho corporativismo: eles temem ter o mesmo destino!

O espanto mesmo é Lula ainda estar solto, algo que jamais ocorreria num país sério. O espanto é o STF não ter julgado ainda inúmeros políticos poderosos, servindo não de guardião da Constituição, mas de protetor de corrupto.

Que Lula seja logo julgado em segunda instância, e de preferência com sua condenação reforçada, pela abundância de evidências e provas. Lula não tem que ser derrotado nas urnas, mas preso, como todo safado, todo corrupto, todo marginal.

E ninguém deve temer uma “convulsão social”: a turma da mortadela vai dar um tiro de festim e mais nada. Por “cinquenta reais”, como diz a música, dá para pagar a dama que lhe satisfaz ou uma “manifestação” qualquer, mas não para convocar um exército paralelo de verdade, para enfrentar o oficial. Os mortadelas são vendidos e indecentes, mas não são burros ou suicidas. Lula não tem esse apoio todo.

Que o chefe seja logo julgado, então! E que o Brasil possa respirar aliviado, e começar a pensar no futuro para valer, para limpar esses 13 anos nefastos de destruição petista, para abandonar esse populismo mequetrefe tupiniquim e, finalmente, debater propostas sérias para permitir nosso progresso.

Lula é o grande entrave do país, o símbolo do atraso, da malandragem, da psicopatia na política (basta ver o que disse sobre o Rio e corruptos, como se não tivesse nada com isso). Que seus cúmplices esperneiem! Quem liga?

A despeito de um ou outro patrimônio público a mais depredado – a linguagem dessa horda é sempre a violência – é até divertido ver a choradeira daqueles que falam em nome do povo e se consideram acima das leis descobrindo que não estão, que, na verdade, são também brasileiros como todos os outros…

Rodrigo Constantino

8 recomendações para você

Sobre / 

Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

Arquivos