Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
As máscaras não caíram; elas despencaram!
| Foto:

Ainda estamos em meio a uma pandemia, e as autoridades recomendam o uso de máscaras. Mas se a pandemia serviu para uma coisa no mundo político, foi justamente para fazer as máscaras dos esquerdistas infiltrados na direita caíram em lotes. Na verdade, não caíram; despencaram!

Vou usar alguns exemplos aqui para ilustrar o fenômeno, que é percebido por qualquer pessoa minimamente atenta e sensata. O oportunismo de políticos e aqueles com pretensões políticas chegou a um grau realmente espantoso. Muitos dos antigos "bolsonaristas" já não se importam em tecer elogios aos tucanos ou mesmo a petistas! Vejam só:

Alexandre Frota deixou os filmes pornográficos no passado, mas pelo visto levou sua experiência para a política. Depois de subir em palanques com Bolsonaro para ser eleito, partiu para a traição, o estelionato eleitoral, dividiu com Joice Hasselmann o palco de uma CPI circense sobre Fake News, e se filiou ao PSDB com direito a lágrimas e tudo, bem ao estilo pornochanchada. João Agripino Doria está colado em seu pitbull agora, não tem mais volta.

Mas se Frota é um caso extremo, pois ninguém sério o leva a sério, ele está longe de ser um caso isolado. Outro "humorista" que se vendia como liberal, a grande aposta do MBL para 2022, Danilo Gentili agora já baba o ovo da esquerda democrata americana, tudo no afã de demonizar Bolsonaro. Aqueles que ontem sabiam que Trump era uma resposta necessária ao radicalismo esquerdista, hoje detonam o ex-presidente republicano, porque associado ao bolsonarismo.

Ok, Frota e Gentili ainda são casos extremos, piadas de mau gosto. Mas não para por aí. Luiz Felipe Pondé, um filósofo que se diz conservador, passou a defender o indefensável - o voto no PT - e pior: em nome do conservadorismo! Nessa cruzada insana, Pondé, contratado da Folha e da TV Cultura, chamou até Ciro Gomes de centro! O ex-ministro de Lula, do PDT de Brizola cujo símbolo é a mesma rosa da Internacional Socialista, um aliado do PCC que comanda o regime opressor comunista na China, e membro do Foro de SP, virou um moderado! É a retroescavadeira centrista. E piora: Pondé, num cinismo ímpar, condena a polarização da qual faz uso:

Bobos polarizam: disse aquele que transformou a política numa disputa entre Alien e Predador só para pregar o voto conservador no socialista ladrão do Foro de SP. É mole?

O desespero dessa turma na busca de um nome viável de "centro" faz com que lancem um balão de ensaio por dia. Tasso Jereissati, Rodrigo Pacheco, Danilo Gentili, Mandetta, Amoedo, Eduardo Leite, Doria, Luciano Huck: a lista não acaba. O que todos têm em comum? Demonizam Bolsonaro, vendem-se como centro, mas defendem a esquerda e preferem até Lula ao atual presidente.

Muitos deles estiveram juntos numa conferência recente em Harvard, cujos principais patrocinadores foram BTG Pactual e Fundação Lemann, do bilionário Jorge Paulo Lemann. A mediadora do "debate" era na verdade uma militante esquerdista fazendo campanha eleitoral antecipada, como podemos ver:

Essa "frente ampla", no fundo, é um convescote esquerdista sem qualquer chance de vitória. Nas redes sociais, a proporção de "deslike" foi cinco vezes maior do que de "like". A tática é acusar "robôs", mesmo em se tratando do YouTube. A alternativa é encarar a realidade, o que deve ser bem doloroso para esquerdistas enrustidos.

No objetivo único de derrubar Bolsonaro, a pandemia segue sendo explorada de forma abjeta pelos opositores. Agora é impossível ignorar o Uruguai, que assumiu a liderança de óbitos per capita no continente. Mas eis a narrativa: o presidente voltou a ser de direita, faltou lockdown (mesmo com fronteiras fechadas para turistas) e a vacinação atrasou, apesar de o país ter vacinado cerca de um terço do total, líder na região.

A nova variante é a causa do estrago? Parece que sim. Se a "variante brasileira" P1 (mas o vírus não pode falar que é chinês) é a principal causa isolada do agravamento da pandemia no país, isso prejudica a narrativa da esquerda no Brasil. Não dá para culpar Bolsonaro pela variante, dá? Por isso ignoram o Uruguai o máximo possível.

A curva do Brasil está exatamente igual à da região, abrindo boca de jacaré só agora no final, por conta da nova variante. O Uruguai, com muito mais vacina, disparou mais ainda. Mas fatos não importam para quem só tem narrativa e um foco: derrubar Bolsonaro.

E para tanto vale até mesmo passar pano em alguém como Renan Calheiros! Duvida? Não duvide. Eu mesmo tive que "debater" com uma jornalista que defendeu o direito de o senador relatar a CPI da Covid, pois foi eleito como todos os demais. E um cartunista que ficou conhecido por defender Bolsonaro e depois se revelou outro esquerdista chegou a afirmar de forma direta:

Eu poderia continuar com esse artigo até transforma-lo num longo livro. O que não falta é gente que hoje está colada aos tucanos, ou mesmo ao PT, só para detonar Bolsonaro. Criticar a gestão do atual governo é absolutamente legítimo. Mas não é isso que temos visto, e sim uma demonização sensacionalista, oportunista e demagógica de quem não parece se importar colar até mesmo em Lula se for para derrotar Bolsonaro. Todos são livres para tanto. Mas enquanto fizerem isso em nome da direita, deverão ser desmascarados.

110 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]