i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rodrigo Constantino

Foto de perfil de Rodrigo Constantino
Ver perfil

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Senado quer sua opinião sobre a regulação da profissão de fotógrafo: é falta do que fazer?

  • PorRodrigo Constantino
  • 08/03/2018 10:12
Senado quer sua opinião sobre a regulação da profissão de fotógrafo: é falta do que fazer?
| Foto:

O Brasil é o país do diploma, da reserva de mercado, do excesso de regulações. Funciona assim: aqueles que já se estabeleceram fazem lobby para criar barreiras e impedir a concorrência, mantendo uma reserva de mercado. Só pode exercer a profissão legalmente quem cursou uma faculdade, ainda que ter cursado a faculdade não seja garantia alguma de um melhor serviço prestado.

Existem certas áreas, claro, que sem o devido curso fica complicado. Pensemos na medicina. Agora, por que um jornalista precisa ter feito jornalismo, com aqueles professores comunistas, para poder exercer a profissão de jornalista? Por que um fotógrafo precisa ter feito fotografia para ser contratado como fotógrafo? E é justamente a profissão de fotógrafo que querem regular.

A PLC 64/2014, do deputado Fernando Torres, pretende regular o exercício da profissão, e o Senado quer saber a opinião do povo. Até agora, na votação online, a proposta está perdendo feio, levando goleada, o que demonstra que não é o público que perdeu o juízo, mas os políticos:

Seria falta do que fazer, num país com mais de 60 mil homicídios por ano? Seria pressão do lobby dos fotógrafos formados? Tenho um amigo que é muito talentoso no que resolve fazer. É músico de primeira, quando foi trabalhar como corretor de imóveis, arrasou e ganhou muito dinheiro, e agora resolveu bancar o fotógrafo. Tem tirado fotos lindas, da natureza e de modelos voluntárias. Não pode? Tem que ter faculdade? Eis o que propõe o projeto de lei:

Art. 3º Estão aptos a exercer a profissão de fotógrafo: I – os diplomados no ensino superior em fotografia, por instituições devidamente reconhecidas; II – os diplomados no ensino técnico em fotografia, por instituições devidamente reconhecidas; III – os não diplomados em escola de fotografia que à data da entrada em vigor desta Lei estiverem exercendo a profissão por, no mínimo, 2 (dois) anos, comprovadamente por: a) declaração de entidades de classe devidamente registradas; b) recibos de pagamentos de serviços prestados, em papel timbrado ou declaração com firma reconhecida em cartório.

Reparem na quantidade de burocracia, poder cartorial, reserva de mercado, cultura do diploma! Pouco importa se o serviço prestado é bom ou ruim, se o empregador e o contratado estão de acordo com a troca voluntária. Nada disso importa. O que vale é o carimbo, o selo estatal, o diploma. Mas o povo não perdoa, e nos comentários vemos que a maioria considera essa proposta uma bizarrice, uma estupidez, coisa de vagabundo ou oportunista:

E eu, bobinho, preocupado com 60 mil assassinados por ano, 14 milhões de desempregados… – Bene Barbosa, do Movimento Viva Brasil, contra o desarmamento;

Ridículo. – Tom Martins, maestro;

Surreal. Vocês políticos, dormem, sonham e acordam pensando em como desgraçar a vida das pessoas. Vai ter conselho profissional também pra pagar a anuidade? Malditos estatistas. – Fabiano Rossetti

Que tal regulamentar a profissão de político? – Otaviani Luciano

Temos problemas reais carentes de solução, mas a classe política está cagando pra isso. Melhor criar regulamentações bestas mesmo. – Luiz Guilherme Marvilla

Oi, eu sou o Estado. Como posso te atrapalhar hoje? – Mateus de Castro

Jesus amado, o Brasil é um hospício!!! – Gleiverson Morete

Pra fotografar é preciso curso superior, agora pra legislar e administrar uma cidade, um estado ou um país pode ser analfabeto mesmo, não é? – Daltro Cavalcante Palha

E assim continua, com vários outros comentários negativos, alguns realmente irritados, o que é perfeitamente compreensível. O povo brasileiro está cansado dessa república cartorial e desses políticos. Essa foto não tem a menor graça. Mas foto é algo estático. O que importa mais é o vídeo, dinâmico. E no filme vemos a tal “onda conservadora” finalmente reagindo a esses absurdos. Chega dessa palhaçada! Chega de tanto parasita!

PS: O deputado Fernando Torres (PSD/BA) tem verdadeira tara por mais controle estatal. Eis a lista de projetos do sujeito, que inclui: Tornar obrigatória a presença de profissional da área de Fonoaudiologia em todas escolas públicas e privadas de ensino fundamental; Estabelecer normas para apresentação de trios elétricos, carros de som que transitem com pessoas na parte superior ou similares, e dá outras providências; Obrigar as empresas fabricantes de aparelhos de telefonia móvel a instalar pontos de coleta em todo território nacional, e dá outras providências; Tornar obrigatória a instalação de Câmeras de Segurança em Clínicas e Hospitais Públicos e Privados em todo território nacional; Regulamentar a profissão de Manobrista. Aqui está o contato dele para quem quiser mandar mensagens.

Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.