i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Diagnóstico

Médicos reconhecem truques

  • PorCecilia Valenza
  • 11/07/2010 21:11

Embora alguns pacientes escondam ou omitam informações por vergonha do médico, há os que têm esse tipo de comportamento por outros motivos. Segundo o presidente da Sociedade Paranaense de Clínica Médica, Cesar Kubiak, é preciso diferenciar o paciente que sonega ou distorce informações por ignorância ou timidez daquele que sofre de transtorno hipocondríaco ou ainda de alguém que faz isso simplesmente para tirar algum proveito. "Um médico experiente é capaz de reconhecer simulações. Dependentes químicos costumam procurar serviços de saúde nas madrugadas em busca de medicamentos com efeitos similares a entorpecentes. Há também os pacientes hipocondríacos que são extremamente sugestionáveis e exageram nos sintomas e, ainda, aqueles que vão ao médico apenas querendo uma licença do trabalho", afirma.

Pacientes que buscam uma segunda opinião também costumam esconder algumas informações do médico, como forma de testá-lo e ver se o diagnóstico será o mesmo do primeiro profissional consultado. Segundo Kubiak, os próprios médicos costumam ser os pacientes mais difíceis. "Eles não gostam de se expor e reconhecer que estão doentes. Geralmente me param no corredor do hospital e perguntam em terceira pessoa, como se estivessem pedindo uma opinião para o diagnóstico de outro paciente, mas na verdade estão falando deles próprios", diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.