Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
“24 horas em casa com quem me agride”: campanha pede ajuda contra a violência doméstica
| Foto: Divulgação

O Governo Federal lançou, nesta sexta-feira (15), uma campanha nacional de combate à violência doméstica para estimular a população a denunciar qualquer tipo de agressão que esteja ocorrendo dentro de casa durante a pandemia do novo coronavírus.

“Denuncie a violência doméstica. Para algumas famílias, o isolamento está sendo ainda mais difícil”, com esse lema, os ministérios da Cidadania, da Mulher, da Família e Direitos Humanos querem conscientizar e instigar as pessoas a utilizarem as ferramentas disponíveis 24 horas para o atendimento dessas vítimas como o Disque 100, o 180, o aplicativo Direitos Humanos Brasil (para Android e iOS) e o site da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos.

Esses serviços recebem, tratam e encaminham denúncias de violações aos direitos humanos. O apelo é para que os cidadãos aproveitem a ampliação desses canais e criem coragem para denunciar o abusador, porque a violência doméstica não engloba apenas violência contra a mulher, mas também contra pessoas com deficiência, idosos e crianças e adolescentes.

O presidente Jair Bolsonaro e os ministros Damares Alves, dos Direitos Humanos, e Onyx Lorenzoni, da Cidadania, participaram do lançamento. Na oportunidade, a ministra comentou que essa campanha é necessária por conta do aumento do número de casos de violações de direitos humanos que se instalou no Brasil com a pandemia.

Com duração de duas semanas, a campanha será realizada por meio de peças gráficas, materiais para internet, spots e vídeos, que serão veiculadas na TV, em minidoor sociais de comunidades, no mídia indoor de condomínios, em carros de som, em rádios comunitárias e na internet.

O vídeo da campanha traz uma mensagem forte. O protagonista tenta pedir socorro, por meio de uma gravação de um vídeo, aos seus vizinhos. Já as peças gráficas alertam "Estou em casa 24 horas com quem me agride".

9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]