Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Fernando Nobre
| Foto: Fernando Nobre
  • Fernando Nobre dedicou o projeto 365 ao filho (foto), morto em 2013

Fotógrafo amador, Fernando Nobre tinha um sonho: tirar uma foto por dia, diariamente, durante um ano, de pessoas diferentes. E foi de uma situação difícil que o empresário tirou forças para tocar a tarefa até o final. Ele perdeu um filho (foto abaixo), em novembro de 2013, e decidiu findar o projeto em 2014. Já na virada do ano fotografou uma amiga e deu início à tarefa que tomaria conta da sua vida nos 365 dias seguintes. Mesmo com as idas para São Paulo, Rio de Janeiro e para o exterior, nunca deixou de fotografar. A coisa nunca era no improviso. Os "modelos" (profissionais ou não) eram contatados previamente e as fotos foram todas pensadas – conforme o estilo da pessoa e o gosto do fotógrafo. "Fiz questão de usar os meus equipamentos, todas as minhas técnicas", conta. Tudo isso em meio às atividades do dia a dia e o trabalho como analista de sistemas.

Modelos

Posou gente de todo tipo. Desde um bebê de 17 dias até uma senhora de 102 anos. "Era a avó de uma amiga, que ficou tocando piano na sala enquanto eu a fotografava", conta Nobre, que se animou com o lado "humano" da coisa toda. "Muita gente nunca tinha sido fotografada e chegava até a se emocionar". Agora, a ideia é tocar o projeto com a publicação de um livro e uma exposição das fotos, prevista para março, no restaurante La Rauxa, no Ahú, em Curitiba.

Museu da Vida para crianças

O Museu da Vida vira território da criançada hoje, em Curitiba. Mantido pela Pastoral da Criança, o espaço organiza uma série de atividades para integrar pais e filhos, a partir das 14 horas. Tiro ao alvo com esponja, corrida de lona na grama, bolhas de sabão gigantes, pipas de papel e teias de aranha pegajosas estão entre as brincadeiras. É possível ter contato com a natureza na "Trilha do Bosque". Famílias com crianças a partir de 2 anos estão convidadas a participar. A entrada é gratuita. O museu fica na Rua Jacarezinho, 1.691, no bairro Mercês. Mais informações pelo (41) 2105-0229.

Fuja da Folia

Ponta Grossa tem carnaval, sim senhor. Mas sem muito samba, no caso do roteiro "Fuja da Folia". Organizado por guias de turismo, as atividades começam na sexta-feira (13 de fevereiro) com o espetáculo "Sexta à Meia Noite", sobre causos da região. A programação conta ainda com visitas ao Parque de Vila Velha, às cachoeiras de Itaiacoca e até com a aventura de descer o rio no boia-cross. Os pacotes são diários, e custam de R$ 35 a R$ 150. Mais informações em www.facebook.com/fujadafolia.

Rotas alternativas

Outra opção de diversão nos Campos Gerais é uma visita ao Parque Estadual do Guartelá, em Tibagi. No local fica o sexto maior cânion do mundo, em extensão, além de cachoeiras. Já Castro conta com um roteiro histórico e cultural, como o Museu do Tropeiro e o Moinho da Castrolanda. Em Palmeira, uma praça memorial foi construída em homenagem à Colônia Cecília, única experiência anarquista brasileira. Outra boa pedida é o Parque Histórico de Carambeí, uma réplica das colônias holandesas instaladas na região.

Gaviãozinho de Itaipu

Divulgação/Itaipu

Juntos desde 2005, o casal de harpias mais antigo de Itaipu acaba de ter um filhote. No último dia 12 nasceu um machinho, com pouco mais de 70 gramas. A ave tem crescido rapidamente. Na última sexta, já chegava a 200 gramas. O animal ganha peso na velocidade necessária para a espécie, que é considerada a mais forte dos gaviões do mundo. Natural da América Latina, o animal é pouco visto na região da Mata Atlântica brasileira. No criadouro da hidrelétrica, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, há 21 aves. Desde 2009, 16 filhotes nasceram e cresceram ali. O mais novo morador está na incubadora e deve ser transferido para o viveiro com um mês de vida, quando começará a ganhar penas.

Colaborou: Naiady Piva, especial para a Gazeta do Povo.

Dê sua opiniãoO que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]