i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
De saída

Adeus ao juiz de esquerda

  • PorVinícius André Dias - justica@gazetadopovo.com.br
  • 17/06/2010 21:12
Em seu último grande julgamento, Grau manteve Lei de Anistia | Marcello Casal Jr./ABr
Em seu último grande julgamento, Grau manteve Lei de Anistia| Foto: Marcello Casal Jr./ABr

"Único juiz de esquerda do STF", como ele mesmo diz com frequência, Eros Roberto Grau nasceu em Santa Maria (RS), em 19 de agosto de 1940. Formou-se em Direito em 1963, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Foi advogado de 1964 a 2004, quando nomeado para o STF, na vaga de Maurício Correa. É doutor em Direito pela Universidade de São Paulo e grande especialista em Direito Econômico e arbitragem – chegou a ser juiz da Corte Internacional de Arbitragem. Foi consultor da bancada paulista na Assembleia Nacional Constituinte, entre 1987 e 1988.

No início do ano, Grau chegou a pensar em antecipar sua aposentadoria, mas resolveu esperar para julgar o processo da OAB que questionava a Lei de Anistia, pretendendo que agentes do Estado que praticaram crimes hediondos durante a ditadura pudessem ser julgados. Detalhe: apesar de ter sido perseguido pela ditadura, Grau votou contra o pedido da OAB e manteve a anistia aos agentes estatais. Ao se despedir da Segunda Turma, da qual é presidente, na semana passada, disse que "foi inesquecível o convívio de muita lealdade" com os colegas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.