Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Fila gerada no Contorno Sul | Lineu Filho/Tribuna do Paraná
Fila gerada no Contorno Sul| Foto: Lineu Filho/Tribuna do Paraná

Moradores da Vila Nova Concórdia II, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), bloquearam por quase duas horas o Contorno Sul (BR-376) na tarde desta terça-feira (19). O motivo da manifestação foi uma ordem de despejo que determina que eles deixem a área nesta quarta-feira.

Os dois sentidos da rodovia foram liberados às 16h06, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O bloqueio gerou quatro quilômetros de fila em cada sentido.

Segundo a moradora Roselei dos Santos, de 42 anos, pelo menos 150 famílias terão de deixar a vila e não têm para onde ir. “O motivo da ordem de despejo é que o local seria um lixão, mas nós já moramos há um bom tempo e nunca tivemos problema nenhum com esse suposto lixão. Nosso advogado, por sinal, sequer encontrou informações que comprovem que isso existe”, disse.

Para tentar pelo menos atrasar o cumprimento da ordem de despejo, os moradores se reuniram e fecharam o Contorno Sul, uma das principais artérias que ligam o entorno de Curitiba.

A intenção dos manifestantes é pressionar a dona do terreno a assinar um acordo que permita que continuem morando no local. “Nós fomos atrás da prefeitura e não houve acordo, nos disseram que dependem da dona do terreno. Já a empresa que responde pelo terreno sequer atendeu aos telefonemas e não nos recebeu. Se sairmos daqui, ficaremos literalmente na rua”, contou um dos moradores.

Na vila, moram famílias há pelo menos cinco anos. “Temos gente que mora há meses, um ano, mas todos estão aqui porque precisam. Não somos bandidos e muitos de nós trabalham. Essa justificativa de que o terreno seja um lixão não cola”, desabafou o homem. Depois de um período de negociação, o Contorno Sul foi liberado. O congestionamento registrado foi de quase 10 quilômetros. “Mas nós prometemos voltar, porque é a nossa vida que está em jogo”, alertou Elaine Mathias, de 21 anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]