i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CASO BERNARDO

Babá mentiu sobre tentativa de assassinato

  • PorDa Redação, com informações do jornal Zero Hora
  • 18/04/2014 21:05

Com medo de represálias do casal Leandro Boldrini, 38 anos, e Graciele Ugulini, 32 anos, a diarista Elaine Raber, 47 anos, disse à Polícia Civil na última terça-feira, em depoimento, que o menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, morto no dia 4 de abril, não tinha sofrido tentativa de assassinato na casa deles. As informações são do jornal Zero Hora. No entanto, a diarista confirmou à reportagem do jornal na noite de quinta-feira que o garoto havia relatado a ela que a madrasta tinha tentado asfixiá-lo em 2012, e que havia batido nele com uma vassoura.

Elaine, que trabalhou como babá de Bernardo entre 2007 e 2009, o advogado Marlon Balbon Taborda, que representa a avó materna de Bernardo, alertou ao Conselho Tutelar de Santa Maria, no dia 22 de novembro de 2013, e ao Ministério Público de Três Passos, em 6 de dezembro do mesmo ano, sobre o risco de vida que corria o menino.

A diarista não foi chamada pelo Ministério Público (MP) durante o processo que determinou a permanência da guarda do menino com o pai, o médico Leandro Boldrini, 38 anos. A Polícia Civil investiga, entre outras hipóteses, se a morte do menino teria motivações econômicas. Segundo o advogado Marlon Taborda, corre na Justiça a partilha da herança da mãe de Bernardo, que se suicidou em 2010. Com o menino vivo, o pai dele, Leandro Boldrini, em tese, teria mais dificuldades para vender imóveis que pertenciam em conjunto a ele e a ex-mulher.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.