i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Relações Exteriores

Cartilha tenta incentivar volta ao Brasil de vítimas de violência no exterior

Impresso preparado pelo Itamaraty será enviada a consulados e ONGs. Material orientará imigrantes sobre como recomeçar a vida no Brasil

  • PorG1/ Globo.com
  • 15/09/2010 16:17
Cartilha lançada pelo Itamaraty para incentivar retorno de brasileiros vítimas de violência ou exploração no exterior | MRE/Reprodução
Cartilha lançada pelo Itamaraty para incentivar retorno de brasileiros vítimas de violência ou exploração no exterior| Foto: MRE/Reprodução

O Ministério das Relações Exteriores lançou nesta quarta-feira (15) o "Guia de Retorno ao Brasil", uma cartilha que será enviada aos diplomatas, entidades e instituições no exterior para incentivar a volta de imigrantes brasileiros vítimas de violência, prostituição, exploração e tráfico de pessoas.

O guia foi desenvolvido pelo Itamaraty, Polícia Federal, Ministério da Justiça e Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). A cartilha é bilíngue (português e inglês), para que seja distribuída para autoridades assistenciais internacionais e para ONGs.

A estimativa do governo é que haja 1,1 milhão de brasileiros vivendo nos Estados Unidos, 1 milhão na Europa e pouco mais de1 milhão na Ásia e outras regiões do mundo. Não há estimativa de quantos brasileiros são vítimas de maus tratos ou exploração no exterior.

De acordo com o Itamaraty, os principais responsáveis pelo trabalho de encorajar o retorno de brasileiros em más condições no exterior serão os consulados brasileiros, ONGs e órgãos do governo de outros países.

A cartilha já foi impressa e começa a ser distribuída a partir desta semana. Segundo a assessoria do Itamaraty, o material não será distribuído diretamente para os brasileiros, pois o ministério não sabe quantos imigrantes querem voltar ao Brasil.

O material ajuda o imigrante a organizar a volta e dá orientação sobre como recomeçar a vida no Brasil. Traz ainda informações sobre saúde, educação, emprego e como colocar a documentação em ordem.

Segundo o Itamaraty, outra forma de incentivar o retorno dos brasileiros por meio da cartilha é apresentar projetos do governo que podem auxiliar a reconstruir a vida no país, como os de assistência financeira (Bolsa Família), moradia (Minha Casa, Minha Vida), empreendedorismo, apoio à micro e pequena empresa (Sebrae).

"Fizemos um apanhado de projetos e programas que coletamos e, pela primeira vez, colocamos em um documento único. [...] Incluímos o que pode ajudar o brasileiro que está lá fora", explicou a chefe da Divisão de Assistência Consular do MRE, Maria Luiza Ribeiro.

De acordo com o Itamaraty, grande parte dos brasileiros vitimas de tráfico de pessoas e exploração do trabalho estão na Europa Ocidental, principalmente Portugal, Espanha, Suíça, Itália e Holanda. "O MRE e até a Interpol temos mais conhecimento de casos nessa região", afirma a diplomata.

Segundo Maria Luiza, a explicação para a atração de brasileiros para esses países é que "não há necessidade de visto, a moeda é forte e há demanda por trabalho estrangeiro".

O Itamaraty pode auxiliar financeiramente o imigrante que queira retornar, mas não tem condições de comprar a passagem, por exemplo. "A pessoa tem que ser comprovadamente desvalida, e a família no Brasil também", disse a diplomata.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.