i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde

Casos confirmados de dengue têm redução de 92% no PR

Comparação entre os dados epidemiológicos foi feita no período de agosto a janeiro nos ciclos 2010/2011 e 2011/2012. Número de notificações também registrou queda

  • PorFernanda Trisotto
  • 01/02/2012 15:48

O número de casos confirmados de dengue no Paraná caiu 92% na comparação entre os casos registrados entre agosto e janeiro, nos ciclos 2010/2011 e 2011/2012. Os dados foram divulgados no Boletim da Dengue, organizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta quarta-feira (1).

Entre as semanas epidemiológicas 31/2010 e 04/2011, foram confirmados 3.122 casos. No período equivalente nos anos 2011/2012, foram confirmados apenas 237 ocorrências. O registro de notificações também caiu 5,2% na comparação entre os dois períodos, reduzindo de 13.088 para 12.395 nesta temporada. O órgão não registrou óbitos nesses períodos.

Segundo a Sesa, a redução dos casos pode ser resultado da ação dos municípios, que adotaram os roteiros apresentados pelas regionais de saúde na busca da erradicação dos focos da doença. Outro fator apontado pelo governo estadual é o investimento em capacitação de profissionais da área para o diagnóstico e tratamento da doença.

Para o geógrafo da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Francisco Mendonça, as ações resultantes de políticas públicas são importantes para a redução dos casos de dengue, mas não são os únicos fatores. O geógrafo afirma que é impossível ignorar os fatores climáticos.

Ele explica que a partir do segundo semestre de 2010, que foi um ano que não teve a interrupção sazonal dos casos de dengue no estado, acreditava-se q ue haveria uma super epidemia em 2011, porque as temperaturas estavam mais quentes e os dias eram mais úmidos.

Para ele, as condições climáticas apresentadas em 2011 inibiram os vetores da doença. "Em 2011, houve o fenômeno La Niña e um segundo semestre chuvoso e com temperaturas baixas. Este mês de janeiro é o mês mais frio dos últimos 14 anos e nesses períodos anteriores o estado nem tinha epidemia da doença", argumenta.

Mendonça ainda alerta para as condições do tempo, que devem se manter assim até abril, passando por arço, que é o mês que concentra mais casos da doença. "Mesmo tendo um verão menos quente, não significa que a doença está controlada. Se esquentar e chover muito, sempre há risco de surtos da doença", explica.

Cidades

As cidades que apresentaram as reduções mais significativas nos casos confirmados da doença se concentram, principalmente, nas regiões Norte, Noroeste e Oeste do estado, que foram as mais afetadas pela última epidemia. Jacarezinho, no Norte Pioneiro, passou de 1.131 casos na temporada 2010/2011 para nenhum no período posterior. Na mesma região, Cornélio Procópio passou de 143 casos para um, o que significa uma redução de 99,3%.

Londrina, na região Norte, teve redução de 97,2%, passando de 1.290 casos da doença para 36. No Noroeste, Sarandi e Maringá registraram quedas significativas. Em Sarandi, a redução foi de 95,5%, passando de 112 ocorrências para cinco. No caso de Maringá, a cidade teve 133 casos da doença confirmados em 2010/2011 contra 18 casos em 2011/2012, redução de 86,4%. Já em Foz do Iguaçu, no Oeste, a redução foi de 71,5%, passando de 88 para 25 casos da doença no período.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.