i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Clima

Chuva atrapalha trabalhos de recuperação

Alguns pontos de Londrina ainda estavam sem água e luz, e secretário diz que bairros sem arborização são mais vulneráveis

  • PorAmanda de Santa, do Jornal de Londrina
  • 19/10/2009 21:07
Vendaval de domingo, que deixou outdoors retorcidos, foi o quinto nos últimos seis meses, de acordo com secretário | Roberto Custódio/ Jornal de Londrina
Vendaval de domingo, que deixou outdoors retorcidos, foi o quinto nos últimos seis meses, de acordo com secretário| Foto: Roberto Custódio/ Jornal de Londrina

Cheia faz vítimas no Paraguai

As constantes chuvas que atingem o Paraná e estados vizinhos há mais de um mês têm tirado o sono de dezenas de famílias ribeirinhas da fronteira. Com as precipitações registradas nos últimos dias, os níveis dos rios Paraná e Iguaçu estão em média 15 metros acima do nível normal. No lado brasileiro, os moradores das áreas mais baixas estão sendo transferidos para áreas mais altas, porém alguns ainda resistem. No lado paraguaio, já chega a 80 o número de famílias desabrigadas pela enchente.

Leia a matéria completa

Cidade tenta reorganizar sua Defesa Civil

Em meio à crise que cai sobre Londrina na forma de tempestades e índices de chuva inimagináveis, a cidade tenta se organizar principalmente por meio de órgãos como a Defesa Civil. Segundo seu coordenador-geral, João Verçosa, ao longo dos anos a Defesa Civil acabou ficando no papel, sem estrutura. A demanda maior é a de pessoal, que deve vir, na sua maioria, de funcionários municipais treinados para ações de contingência – ou seja, prontos para a eventualidade de uma crise.

Leia a matéria completa

Londrina - A chuva que caiu ontem o dia todo em Londrina atrapalhou e atrasou o trabalho da prefeitura, da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e do Corpo de Bom­beiros nos reparos aos danos causados pelo forte temporal que caiu na cidade no último domingo. Algumas ruas continuavam interditadas até o fim da tarde de ontem e ainda faltava restabelecer luz e água em algumas localidades.

O Corpo de Bombeiros registrou 142 ocorrências por causa da chuva, com destelhamento de 11 residências. O capitão Luiz Alberto Bueno Candido informou que, como continuou a chover durante todo o dia ontem na cidade, a situação ainda é delicada. "Temos de priorizar o que é emergencial. Não temos condições de atender ocorrências de árvores que ameaçam a cair, mesmo aquelas que já foram protocoladas na prefeitura. Não se sobe em árvores em dias de chuva", justificou. Candido pediu paciência à população e orientou para que, em situações como a de do­­min­go, as pessoas não saiam de casa.

"Foi o quinto vendaval só neste semestre", afirmou o secretário do Meio Ambiente, Carlos Levi. Ele estima que, nos três vendavais dos últimos dias, o número de árvores derrubadas já passou de 500. O secretário explicou que a maior preocupação agora é com os bairros que perderam muitas árvores. "O bairro fica desprotegido sem arborização. A próxima ventania pode atingir os telhados", disse.

Luz e água

A Copel informou que, das 35 mil residências de Londrina e região que ficaram sem energia na noite de domingo, menos de 3 mil ainda estavam com o serviço suspenso até ontem à tarde. Em nota, a empresa informou que a expectativa era de que o serviço fosse regularizado ainda na noite de ontem.

A Sercomtel informou que não há paralisação total de redes, apenas alguns problemas localizados. E, segundo a Companhia de Sanea­mento do Paraná (Sanepar), ontem de manhã três distritos rurais ficaram sem água por causa da falta de energia elétrica. Até o fim da tarde, somente o distrito de São Luiz continuava com o abastecimento interrompido. No domingo, entre as 16 horas e a meia-noite, cerca de 75 mil pessoas de várias regiões da cidade ficaram sem água.

Previsão

Segundo o Instituto Tecnológico Simepar, das 10 horas de domingo às 16 horas de ontem choveu 143,4 milímetros, mais do que o esperado para todo o mês de outubro em Londrina. A previsão é de uma semana instável, mas as temperaturas devem se manter estáveis em relação aos últimos dias. A chuva deve parar hoje, mas volta entre quarta e quinta-feira e pode vir acompanhada de pancadas com volumes significativos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.