Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, foi um dos municípios mais afetados pelas chuvas desta segunda-feira | Daniel Castellano / Agência de Notícias Gazeta do Povo
Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, foi um dos municípios mais afetados pelas chuvas desta segunda-feira| Foto: Daniel Castellano / Agência de Notícias Gazeta do Povo

Telespectadores do ParanáTV registraram imagens dos alagamentos em Curitiba e região

  • No Jardim Weissópolis, em Pinhais, moradores tiveram que improvisar para que o prejuízo não fosse ainda maior
  • Muro desaba em cima de uma casa apos deslizamento no bairro Parolin, em Curitiba
  • Ponto de alagamento na Rua Almirante Tamandaré, esquina com a Rua Professor Brandão, em Curitiba.
  • A chuva elevou o nível do Rio Atuba e a água invadiu as ruas

A forte chuva que caiu sobre o Paraná na manhã e início da tarde desta segunda-feira (13) causou estragos em Curitiba e em municípios da região metropolitana. De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, na capital, até 17h, choveu 85 mm de água, o equivalente a 56% do volume de chuva previsto para o mês de dezembro, que é de 150 mm. Há registro de pontos de alagamento em vários bairros de Curitiba e região metropolitana. De acordo com a Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, a única cidade afetada no interior foi Guarapuava.

Em Curitiba, a Defesa Civil faz um alerta para os moradores que vivem em áreas próximas aos rios. Como choveu muito nas caixas dos rios, todos estão com risco de transbordar. Quem mora em locais próximos a essas áreas deve prestar atenção ao nível do rio e deixar as casas antes de ficar ilhado. O alerta vale para os rios Atuba, Ivo e Belém, que já trasbordou em alguns pontos.

De acordo com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, houve registros de alagamentos em 14 pontos da capital. Foram afetados moradores dos bairros Bairro Alto, Campo Comprido, Uberaba, Boqueirão, Cidade Industrial de Curitiba, Hauer e Alto Boqueirão. No Uberaba, Boqueirão e CIC, algumas pessoas chegaram a ficar temporariamente desabrigadas, mas as casas foram liberadas assim que a chuva diminuiu e as residências passaram por limpeza, informou a Defesa Civil.

Um muro caiu e atingiu residências no Parolin, mas segundo a Defesa Civil ninguém ficou ferido ou desabrigado. Além disso, houve um desabamento de muro no Boa Vista. A Defesa Civil também informou que houve alagamento na Rua Iapó, no Prado Velho, e nos cruzamentos da 24 de Maio e Alferes Poli com a Brasílio Itiberê, no Rebouças.

Os rios Barigui e São Lourenço estão com a vazão muito grande. No caso do Barigui, a área mais crítica é a região próxima ao Centro Municipal de Urgências Médicas (CMUM) do bairro CIC. De acordo com a Defesa Civil, a situação na área é delicada e, caso haja um alagamento, o problema pode se estender até a Caximba. O lago do Rio São Lourenço, mais próximo do centro, também pode transbordar.

A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil registrou pontos de alagamento em Piraquara, Fazenda Rio Grande, Colombo, Campina Grande do Sul e nos bairros Jardim Acrópole e Emiliano Perneta, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Em Almirante Tamandaré, houve um deslizamento de terra e a queda de um muro no início da tarde desta segunda-feira. Ninguém ficou ferido e as famílias não precisaram deixar as residências. Em Araucária uma casa foi destelhada. Na Lapa, cinco residências foram destelhadas.

Até as 17h20, o único registro de ocorrência em função da chuva no interior do estado foi em Guarapuava, no Centro-Sul do estado, onde seis casas foram destelhadas.

Previsão

Segundo o Simepar, as fortes chuvas são o resultado da passagem de uma frente fria no estado. O meteorologista Tarcízio Valentim da Costa explica que a chuva caiu por todo o estado e que a frente fria já está se deslocando para São Paulo. A tendência é de que uma massa de ar seco passe pelo estado e o tempo melhore até quarta-feira (15). Para o fim da semana, a previsão é de que chova novamente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]