Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
No Brasil é tradição que no Dia de Finados sejam colocadas flores nos túmulos de familiares . | Andre Rodrigues/Gazeta do Povo
No Brasil é tradição que no Dia de Finados sejam colocadas flores nos túmulos de familiares .| Foto: Andre Rodrigues/Gazeta do Povo

Todos os anos, no dia 2 de novembro, milhares de pessoas dedicam um tempo para realizar visitas a cemitérios e recordar daqueles que já se foram. Celebrado em diversos países do mundo, a ocasião é conhecida como Dia de Finados e é um momento de homenagem aos mortos que ocorre desde o século 11. Em sua origem, porém, a data tinha um significado muito mais forte para aqueles que a celebravam do que atualmente.

Veja fotos das celebrações do Dia de Finados pelo mundo

Criado pelo abade francês Odilon, por volta do ano de 1030, Finados nasceu no Cristianismo como um momento para voltar toda a atenção aos falecidos, conforme explica a presidente da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais, Clarissa Grassi. “Na época, os fiéis prestavam homenagens e rezavam para aqueles que haviam partido com o intuito de garantir a salvação eterna de suas almas, evitar que tivessem sofrimentos no percurso e não permanecessem por muito tempo no purgatório”, conta.

Em plena Idade Média, a população possuía uma preocupação muito grande com o pós-vida. Os mortos eram sepultados dentro das igrejas para estarem mais perto do “sagrado”. Mais tarde, no século 18, com o surgimento de preocupações sanitárias, o temor de epidemias e cuidados com urbanismo, os cemitérios foram criados. Desde então, foram se distanciando cada vez mais dos centros urbanos, na mesma medida em que a população se afastou da morte e dos ritos que a cercam.

“Antes se morria em casa, com a família e o padre presentes. Hoje, existem os hospitais e um afastamento desse processo, o que inclui um interesse menor pelo dia de Finados”, afirma Clarissa.

Celebrações diversas

A pesquisadora explica que hoje, no Brasil, é comum que ocorram homenagens de caráter mais solene, como a entrega de flores aos túmulos de familiares e a realização de algumas orações no local. Em outras culturas, porém, a data é considerada um momento de festa.

No México, por exemplo, as homenagens a quem partiu têm proporções muito maiores. É que o país, sob influência de crenças antecessoras à colonização dos espanhóis, considera o dia dos mortos como uma ocasião de retorno espiritual dos que partiram. Comemorando a presença dos entes queridos falecidos, as pessoas montam altares de homenagem a eles, onde colocam a refeição favorita dos mortos e objetos que remetam a eles.

  • Fiéis acendem velas e rezam para parentes falecidos em Bangladesh, em um cemitério na cidade de Chittagong, em 2012.
  • Em um cemitério em Estocolmo, capital da Suécia, velas são acesas sobre túmulos para celebrar o Dia de Finados.
  • Três mulheres rezam ao redor de tumba de um familiar no cemitério de Villa Ingenio, na cidade de El Alto, na Bolívia. A imagem é de 2012.
  • Homem coloca flores na tumba de familiar em celebração e 2012 em Chuchumatan, na Guatemala.
  • Altar mexicano em Atlanta, na Geórgia, Estados Unidos em memória de Jennifer Ann Crecente.

Colaborou: Cecília Tümler

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]