A Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel) contestou informações publicadas pela Gazeta do Povo nesta sexta-feira (17) sobre apagões registrados em 2013 em Curitiba e região. De acordo com a reportagem do jornal impresso, entre dezembro de 2012 e fevereiro do ano passado, foram 93 dias em que houve interrupção no fornecimento de energia elétrica na capital. Em 2012, a quantidade chegou a 120.

A empresa, por sua vez, ressalta não se tratam de dias sem luz, mas sim de "dias críticos" que, conforme regulamentado pela Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica], são os que apresentam um número de desligamentos fora da média dos doze meses anteriores, por causa de eventos climáticos extraordinários. "Não significa que os desligamentos duraram 24 horas, mas sim que o número de ocorrências foi alto, fora da média, devido a uma causa natural atípica e fora do controle da concessionária", explicou a Copel, por meio de nota encaminhada por sua equipe de assessoria de imprensa.

A companhia também apontou como "irreal" a afirmação feita pela reportagem do jornal que os desligamentos são um problema longe de ser solucionado. Segundo a Copel, "a ocorrência de desligamentos decorrentes de vendavais ou descargas atmosféricas (raios) não é um problema passível de 'solução', pelo menos em médio prazo, pelo simples fato de que a Copel não pode evitar que árvores caiam sobre a rede elétrica ou sobre elas incidam raios, exceto se toda a rede fosse subterrânea, o que está longe de ser uma realidade em países em desenvolvimento, cujos consumidores de energia ainda não tem condições econômicas de arcar com o custo desta melhoria."

De acordo com a Copel, na maioria das vezes os moradores da capital, quando afetados por problemas de interrupção de energia elétrica, não precisam usar velas porque "muitos dias críticos tem seu início e fim durante o dia".

A empresa diz ainda que o sistema elétrico de Curitiba apresenta um dos melhores desempenhos do Brasil no que se refere à qualidade do fornecimento de energia.

O fato pode ser comprovado pelos indicadores DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) e FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora), exigidos pela Aneel. Em Curitiba, de acordo com a companhia, o DEC chegou a 5,9 horas em 2012, contra 18,65 da média brasileira. Já o FEC foi de 4,5 interrupções, contra 11,10 da média registrada no país.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]