i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Combustíveis

Cúpula da PF em Volta Redonda é presa em ação no Rio de Janeiro

  • PorAgência Estado
  • 25/09/2008 08:43

A cúpula da Delegacia da Polícia Federal (PF) em Volta Redonda, no Sul Fluminense, foi presa nesta quinta-feira (25) em operação realizada pela Superintendência da PF no Rio. Foram detidos o delegado-titular, César Augusto Gomes Gaspar, o delegado-substituto, Gustavo Stteel, o chefe do Núcleo de Operações, Sérgio Vinícius de Oliveira e três agentes da delegacia sob a acusação de formação de quadrilha armada, corrupção ativa e passiva. Os policiais federais foram denunciados por suposto envolvimento com 18 empresários acusados de transportar clandestinamente e adulterar combustíveis. Segundo a PF, o grupo atuava com apoio de policiais civis e militares.

Foram expedidos pela Justiça 40 mandados de prisão preventiva: sete policiais federais, cinco policiais civis, nove policiais militares, 18 empresários e um despachante. Até o momento, além dos seis policiais federais, foram presos, segundo a PF, um policial civil no Rio, um PM em São Paulo e dez empresários, dos quais três em São Paulo.

A investigação começou há cerca de seis meses, de acordo com a PF. A quadrilha trazia o combustível de São Paulo em caminhões com notas fiscais frias e em alguns casos sem nota. As investigações apontam que a quadrilha pagava uma mensalidade aos policiais para continuar agindo sem fiscalização.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.