Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Há oito anos, Valdecir dos Santos, 40 anos, deixou Cascavel, a 501 quilômetros da capital, com a família nas costas e um sonho na bagagem: trabalhar na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, e mudar de vida. Mas ao chegar na região metropolitana de Curitiba, Santos viu o sonho desmoronar. O mar de oportunidades alardeado em Cascavel nunca sequer existiu para alguém sem estudo. Obrigado a encontrar um espaço para abrigar a família, ele passou a viver na invasão Vila Arvoredo 2, no bairro Capela Velha, em Araucária. Para sobreviver, Santos recolhe lixo reciclável, que lhe rende R$ 40 semanais para alimentar oito pessoas.

"Como não tinha opção, fomos para a reciclagem. A gente passa meio apertado e não dá para ficar rico com isso", diz. O verbo enriquecer é um exagero para dar esperança à família, lotada em um local onde não existe esgoto e que há pouco tempo recebeu água e luz. Os oito membros da família se aglomeram em dois pequenos casebres, que não somam mais que 50 metros quadrados. À frente de casa, quatro cachorros dividem espaço com o material coletado e um cavalo, usado para recolher o lixo. "Enquanto eu e a esposa saímos trabalhar, a sogra fica cuidando das crianças", relata.

Aluguel alto

Nem todos na Vila Arvoredo 2 caíram na ilusão da abundante oferta de empregos da Petrobras. Boa parte apenas sonha em alcançar a casa própria, fugindo do aluguel e aguardando a regularização da área onde vive ou a transferência para outra área. "Eu, por exemplo, fugi do aluguel alto", diz Laureni Vicente Belo Ferreira, a presidente da Associação de Moradores da Vila Arvoredo 2. Em 2006, na última contagem, havia 864 pessoas na área. Hoje, só de crianças, são pelo menos 500. "Aumentou muito nos últimos anos. Têm famílias grandes por aqui", afirma Laureni.

Maria Cardoso só queria estar mais perto da capital, onde estão localizados os médicos que atendem sua filha. "Todos eles ficavam aqui. Era muito caro vir de Contenda [cidade vizinha de Araucária]. Por isso, vim para cá há seis anos", observa. A infraestrutura e a oferta de serviços da capital são atrativo para muitas pessoas, criando migração das cidades mais distantes para os municípios mais próximos de Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]