i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crime

Dentista é transferido para hospital da capital paulista

Alexandre Peçanha Gaddy teve 60% do corpo queimado por criminosos dentro de seu consultório, em São José dos Campos

  • PorFolhapress
  • 31/05/2013 09:45

O dentista Alexandre Peçanha Gaddy, 41, que teve 60% do corpo queimado por criminosos dentro de seu consultório na última segunda-feira, em São José dos Campos (a 97 km de SP), foi transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Gaddy estava internado em estado grave da Santa Casa São José dos Campos. Ele foi transferido para a capital paulista na noite de ontem. Segundo a assessoria do hospital Albert Einstein, ele está na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e continua em estado crítico e sem previsão de alta.

Ontem, a polícia apreendeu o celular do dentista para saber com quem ele falou na última segunda-feira. A intenção da polícia é descobrir com quem a vítima falou no dia do crime. Como nada foi levado do consultório de Gaddy, a polícia investiga se ele foi mesmo vítima de um assalto.

Ao ser socorrido, Gaddy disse à polícia que dois assaltantes invadiram seu consultório, amarraram-no a uma cadeira no banheiro, atearam fogo nele e fugiram.

Caso

Por volta das 21h de segunda-feira, Gaddy, 41, estava sozinho no consultório, após o expediente, quando os criminosos entraram. Segundo a versão apresentada por uma testemunha, eles teriam levado Gaddy ao banheiro, amarrado o dentista em uma cadeira e ateado fogo.

No banheiro, a polícia encontrou uma garrafa de álcool vazia e um isqueiro, além de documentos e cartões do dentista queimados no lixo. A secretária do consultório também já foi ouvida pela polícia. Ela contou que saiu do trabalho às 17h30 e que o álcool usado na ação era do próprio consultório.

Segundo o delegado seccional, a polícia já obteve as imagens de uma câmera do COI (Centro de Operações Integradas), da prefeitura, e está trabalhando para melhorá-las, a fim de usá-las na identificação de possíveis suspeitos.

De acordo com a polícia, nada foi roubado do dentista e não houve saques nas contas de Gaddy. Um cartão de crédito foi achado no jaleco do dentista e outros cartões bancários estavam queimados. A polícia não descarta tentativa de homicídio, crime passional e até tentativa de suicídio.

Outro caso

Esse é o segundo caso neste ano em que criminosos ateiam fogo em dentistas após tentativas de assalto a consultórios no Estado de São Paulo.

No dia 25 de abril, a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza foi morta no consultório dela, na rua Copacabana, Jardim Anchieta, em São Bernardo do Campo (Grande SP). Ela também teve o corpo incendiado com álcool. A vítima morreu no local. Segundo a polícia, ela foi morta pois tinha apenas R$ 30 na conta bancária.

Os quatro criminosos foram presos na mesma semana que ocorreu o crime. Entre os assaltantes estava um adolescente de 17 anos que confessou à polícia ter ateado fogo na vítima.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.