i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
trânsito

Em SP, idoso morre após ser atropelado por ciclista embaixo do Minhocão

O trecho foi considerado perigoso por pedestres à época da inauguração

    • Estadão Conteúdo e Folhapress
    • 19/08/2015 11:04

    Um idoso de 78 anos morreu após ser atropelado nesta terça-feira (17) na ciclovia da Rua General Olímpio da Silveira, próximo à Avenida Pacaembu, no bairro Santa Cecília, na região central de São Paulo. A via para bicicletas passa sob o Elevado Costa e Silva, o Minhocão. Este é o segundo caso de atropelamento em ciclovias da cidade em três dias (no outro, um garoto de 9 anos morreu após ser atingido por uma van).

    Após ciclovias, prefeito quer ampliar calçadas em São Paulo

    Aumento seria feito com a retirada de faixas de circulação de carros de vias da cidade

    Leia a matéria completa

    O zelador de prédio Florisbaldo Carvalho da Rocha saía de casa para comprar pão por volta das 16h30 quando foi atingido pelo ciclista Gilmar Raimundo Alencar, 45, administrador de fazendas, na ciclovia inaugurada há 10 dias. O trecho foi considerado perigoso por pedestres à época da inauguração.

    Rocha estava na ilha de pedestres, prestes a entrar na faixa de pedestre, sobre a ciclovia quando foi atropelado próximo à sua casa, por volta das 15h desta segunda-feira (17). “Ele [o ciclista] socorreu, acompanhou tudo, mas ele teve escoriações e meu pai perdeu a vida”, disse o filho mais velho de Rocha, Eduardo Carvalho Rocha, 39, administrador de empresas.

    A Santa Casa de São Paulo disse, em nota, que Rocha deu entrada no hospital com politraumatismo, trauma cranioencefálico grave, por volta das 15h25, e morreu por volta das 17h50 da última segunda-feira (17).

    Casado e pai de dois filhos, Rocha havia completado 78 anos no dia 10 de agosto. Aposentado, trabalhou boa parte de sua vida como zelador e morava na região havia mais de dez anos. “Em 10 de agosto eu estava com o meu pai, comemorando o aniversário dele. Agora, uma semana depois, eu estou enterrando ele. E por uma coisa estúpida”, disse o filho de Rocha.

    Segundo o filho, o pai conhecia bem o local e também era bem conhecido. “É um lugar com pilastras, falta sinalização, apesar de ser um bairro de pessoas idosas. A gente sabe que a população brasileira está envelhecendo e você não tem nada para orientar essas pessoas. Só colocaram a faixa de pedestres e pronto, não fala nada, não orienta ninguém.”

    O corpo de Rocha é velado no cemitério do Araçá, região central da capital paulista, e será enterrado por volta das 14h no cemitério da Vila Alpina. “A família está destruída, principalmente da forma como aconteceu. Foi algo banal que poderia ter sido evitado se houvesse mais planejamento”, disse Antônio Linhares, 39, advogado e amigo da família.

    Ciclista

    A polícia informou que o ciclista Gilmar Raimundo Alencar vai prestar depoimento no 23° DP no começo da tarde desta quarta (19). Lupércio Dimov, delegado responsável pelo caso, disse que Alencar vai responder ao processo em liberdade “até porque nem tem razão para ele ser preso”, e que ele pode responder por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar).

    “Apurar culpabilidade aí fica meio temerário. Quem colocou o ciclista para andar ali, quem montou a pista e pôs ele para andar ali, tinha a presunção de que ele estava seguro, presume-se que ele tinha segurança”, disse o delegado.

    “A prefeitura tem que se preocupar com campanhas educativas, não impor as coisas, colocar uma ciclovia e pronto. Tem que ter consciência que tem pessoas idosas, pessoas passando o tempo todo. Precisa conscientizar o ciclista, explicar para as pessoas idosas. Faltou informação e planejamento. Tem pilastras que viram pontos cegos para o pedestre”, disse o filho de Rocha.

    “Foi um ciclista de 45 anos, uma pessoa consciente, não um menor de idade. Você está numa região com muito pedestre, tem que ter um pouco de sensibilidade e passar numa velocidade moderada. Caso contrário, você pode pegar uma pessoa idosa, com 78 anos e essa pessoa é arremessada, tem a cabeça atingida por um guidão de bicicleta, como aconteceu com meu pai”, completou.

    O ciclista disse que foi ao hospital nesta terça (18) para visitar Rocha, quando descobriu que ele havia morrido. “Fiquei muito abalado. Vou ver o que posso fazer para prestar o máximo de auxílio à família”, disse Alencar.

    A Prefeitura de São Paulo disse, em nota, que “lamenta profundamente a morte de Florisvaldo Carvalho da Rocha e irá acompanhar as investigações da Polícia Civil a respeito das circunstâncias do atropelamento e da responsabilidade do ciclista”.

    Polêmica

    Essa área embaixo do elevado Costa e Silva teve que ser alargada em alguns pontos para acomodar os dois sentidos da ciclovia e os pontos de ônibus do corredor exclusivo que já existia no local.Inaugurada no último dia 9, a ciclovia debaixo do Minhocão tem 4,1 km de extensão e liga a praça Roosevelt ao terminal de ônibus e metrô da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. A ciclovia passa pelas rua Amaral Gurgel e pelas avenidas São João, General Olímpio da Silveira e Auro de Moura Andrade e fica boa parte do percurso no canteiro central.

    Moradores da região já prometem fazer um protesto no próximo domingo (23) por causa do perigo que, segundo eles, a ciclovia apresenta aos pedestres. Ao longo dos 3,5 quilômetros de faixas para bicicletas há seis pontos de parada, 31 pilastras e diversas bifurcações nas vias vermelhas que colocam uma bicicleta de frente para outra ou apontadas diretamente para os passageiros nos pontos de ônibus. O filho do idoso disse que considera o trecho mal sinalizado e que vai procurar um advogado para estudar as medidas cabíveis contra a prefeitura.

    Três dias antes da inauguração da faixa para bicicletas, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou estar confiante na capacidade de adaptação de pedestres, ciclistas e passageiros de ônibus para evitar colisões. Na ocasião, Haddad disse que “as pessoas sabem se resolver”.

    Outros casos

    Um garoto de 9 anos morreu após ser atropelado por uma van na avenida Bento Guelfi, na zona leste de São Paulo, no último domingo (15).

    Instalada pela prefeitura no bairro Iguatemi (zona leste), a ciclovia passa pelo meio da avenida Bento Guelfi em quase todo o trajeto. A faixa, com aproximadamente três quilômetros, começa no meio da pista. Após dois quilômetros, é desviada para o lado direito por cerca de 500 metros e depois retorna para o meio da avenida.

    Moradores de São Mateus (zona leste) queimaram um carro e fecharam parte da avenida Bento Guelfi em protesto contra a morte do garoto.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.