i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
FUTURO DAS CIDADES

Apps ajudam a estacionar o carro, mas estímulo ao automóvel é questionável

Maior plataforma do mundo nesse segmento, a ParkMe vai ampliar atuação no Brasil. Estudo de 2015 mostrou que o incentivo ao estacionamento ajudou a aumentar os congestionamentos em nove cidades dos EUA

  • PorRaphael Marchiori
  • 31/05/2016 16:06
Aplicativos  permitem pagar antecipadamente o estacionamento e mostram em tempo real a oferta de vagas | Diego Pisante / Arquivo/Gazeta do Povo
Aplicativos permitem pagar antecipadamente o estacionamento e mostram em tempo real a oferta de vagas| Foto: Diego Pisante / Arquivo/Gazeta do Povo

O crescimento da frota de veículos particulares atrelado à valorização do metro quadrado nas grandes cidades tem tornado a tarefa de estacionar o carro uma luta inglória e cara. Antes da crise, parar o carro por uma hora na Avenida Paulista chegou a custar R$ 50. Em eventos concorridos, há riscos de sequer encontrar uma vaga. Para evitar deslocamentos desnecessários, há aplicativos que informam endereço, preço, oferta de vagas e até permitem o pagamento antecipado com cartão de crédito.

A eficácia de incentivos à oferta de estacionamentos, entretanto, é questionada por um recente estudo publicado pelo Transportation Research Board, nos Estados Unidos.

Maior plataforma do mundo nesse segmento, a ParkMe anunciou recentemente sua estratégia de ampliação no mercado brasileiro. A empresa sediada em Santa Mônica, na Califórnia, conta com mais de 100 mil estabelecimentos cadastrados em quatro mil cidades. No Brasil, ela tem seis mil pontos -- a maior parte deles adjacentes a aeroportos. Agora, a meta é chegar a 20 mil estabelecimentos no país até 2017.

O uso desses aplicativos é simples. Basta escolher o estacionamento no mapa, reservar a vaga e efetuar o pagamento com o cartão de crédito. O comprovante pode ser impresso ou ser apresentado no próprio smartphone.

Na região metropolitana de Curitiba, a ParkMe tem estacionamentos cadastrados ao lado do aeroporto Afonso Pena. Segundo o porta-voz da empresa na América Latina, Mário Coutinho, o nome do terminal está entre os mais buscados no aplicativo. “Por isso, focamos Curitiba antes de cidades como Rio e Belo Horizonte. Uma equipe já mapeou os estacionamentos na região central da cidade para uma futura expansão. A ideia é cadastrar algo em torno de 500 a 700 estacionamentos”, disse.

Afonso Pena

O estacionamento interno do aeroporto custa R$ 27 na primeira diária e R$ 25 nas subsequentes. Nas adjacências, o preço médio é de R$ 17,53. Mas esse custo pode cair para até R$ 10 se o motorista fizer a reserva pelo ParkMe. Segundo a empresa, a promoção ocorre por tempo indeterminado

A empresa de Santa Mônica foi adquirida em 2015 pela também americana INRIX, que fornece dados de trânsito e sistemas de navegação para montadoras como Audi, BMW, Mercedes, Lexus e Porshe. Os veículos da Audi, por exemplo, já veem com a opção de reserva e pagamento de estacionamento no console. E, segundo Coutinho, esse é o diferencial da empresa. “Acreditamos que o uso definitivo dessa ferramenta será feito diretamente no console do carro”, defendeu.

Outros aplicativos nessa linha disponíveis no Brasil: Onde Parar; Vaga Certa; Let’s Park; Pare Aqui. Já há também quem mapeie os dados de vagas nas ruas, com um sistema semelhante ao Waze. Esse é o caso do aplicativo israelense Anagog, que usa dados em tempo real fornecidos pelos próprios motoristas ao entrar e sair de uma vaga pública.

Congestionamentos

Um estudo publicado no último mês de dezembro e que será apresentado na reunião anual do Transportation Research Board deste ano mostrou a relação direta entre a oferta de estacionamentos e os congestionamentos em nove cidades dos Estados Unidos. O levantamento concluiu que o aumento das vagas reduziu os preços e serviu como chamariz para mais deslocamentos individuais.

Saiba mais

O estudo do Transportation Research Board está disponível aqui.

A pesquisa foi conduzida por quatro pesquisadores das universidades de Wisconsin e Connecticut. Eles mapearam a relação de vagas por habitante nas décadas de 1960, 1980 e 2000 e perceberam que, mesmo sem crescimento populacional significativo, o aumento de 0,2 para 0,5 vagas por pessoa fez com que o porcentual de deslocamentos em carros particulares aumentasse 30%, em média.

Mas Mário Coutinho cita outras pesquisas americanas para argumentar que os aplicativos dos estacionamentos ajudam, na verdade, a reduzir os congestionamentos. “Existem pesquisas americanas mostrando que 20% do trânsito na cidade é ocasionado por veículos que procuram vagas. Esse tempo de procura, em média, é de dois a três minutos. Sabendo onde vai estacionar, é possível reduzir esse tempo e consequentemente o trânsito na cidade”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.